93779377

28 fevereiro 2018

Aprenda a driblar os riscos desse tipo de transação e evite prejuízos e frustrações

Por um lado, preço muito mais baixo. Por outro, oscilações cambiais, risco de ser taxado e demora na entrega. Será que compensa fazer compras em sites internacionais?

A publicitária Simone Gonçalves afirma que sim. “No ano passado, comprei um vestido de noiva seis meses antes do meu casamento pelo site Light in the Box. Foi feito sob medida para mim e chegou em apenas 3 meses. Paguei US$ 99 (cerca de R$ 330) mais 60% de taxa (R$ 198), pois ele caiu na alfândega. O total ficou em torno de R$ 528, bem mais barato do que comprar por aqui ou alugar – nessas situações, gastaria, no mínimo R$ 3 mil”, comemora.

Assim como Simone, um em cada cinco internautas brasileiros (20%) tem o hábito de comprar em sites internacionais, segundo pesquisa do SPC Brasil e CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas). Acessórios para celulares, tablets e computadores estão entre os produtos mais comprados. Preço baixo em relação aos sites nacionais é a principal justificativa mencionada por 76% dos consumidores.

Mas para a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, é preciso fazer algumas contas antes de efetuar a compra, pois nem sempre compensa financeiramente. “Não considere apenas o valor que você pagará convertido em reais, já acrescente a taxa da alfândega, pois há chance do produto ser tarifado. Em seguida, abra outra janela em seu navegador e pesquise o preço aqui no Brasil para comparar”, diz.

A especialista listou ainda outros riscos a serem computados antes da tomada final de decisão. Confira:

Alfândega

De acordo com o Fisco, estão isentas as transações de até US$ 50, incluindo o valor do frete, entre pessoas físicas. Isso significa que se você comprar algo de uma loja (pessoa jurídica), seu produto pode estar sujeito a imposto, ainda que ele custe menos do que US$ 50. O imposto cobrado é de 60% sobre o valor final declarado pelo vendedor, ou seja, a soma do produto, frete e seguro. Ainda pode ter incidência de cerca de 17% de ICMS – a taxa varia conforme o estado e é atualizada de tempos em tempos.

“Um produto de US$ 100 dólares (R$ 322) pode facilmente custar US$ 160 (R$ 515) caso seja tributado. Mas como o processo de tributação de encomendas individuais é feito por amostragem, existe a possibilidade de sua encomenda ser liberada sem nenhuma cobrança. Uma dica interessante é comprar de fora itens menores, mais leves e mais baratos, que têm maiores chances de serem liberados”, explica Frederico Flores, palestrante e especialista em comércio eletrônico e marketplaces.

Ainda: se você comprar vários produtos do mesmo vendedor e ele despachar tudo em uma única embalagem, mesmo que os valores individuais não ultrapassem US$ 50, se a soma deles com frete e seguro ultrapassar, você poderá ser taxado. Aqui, o único jeito de se prevenir é solicitar um envio separado para cada produto – calcule o que compensa mais, pagar vários fretes ou ser taxado.

A regra não se aplica a livros, jornais e revistas, que são isentos.

Alta do dólar

É fato, o dólar está mais alto do que há alguns anos. Se em 2010 beirava R$ 1,70, agora tem flutuado entre R$ 3,20 e R$ 3,30. “Ainda assim, no geral, as coisas ainda são mais baratas lá fora. Mas é importante sempre converter, somar IOF e os riscos já mencionados”, diz Marcela.

Entenda o IOF das suas compras.

Lembre-se que o valor convertido a ser pago é o do dólar na data de fechamento da fatura. Mas se quiser evitar as oscilações cambiais, você pode pagar em boleto bancário, modalidade de pagamento já aceita por alguns sites internacionais, como o AliExpress.

compras em sites internacionais

“Se, ainda assim, você prefere usar cartão de crédito, cheque se seu banco permite fazer a conversão da moeda no dia da compra. Alguns deixam antecipar o pagamento, evitando o risco cambial”, explica Marcela.

Demora na entrega

Tenha paciência, pois sua encomenda pode demorar mais de 60 dias para chegar. “Se você tem pressa para receber ou precisa do item antes desse prazo, opte por uma compra no Brasil”, aconselha Frederico.

“Em se tratando de um presente para datas especiais, considere os riscos do produto atrasar, pois pode ser que a encomenda não chegue a tempo e você tenha o prejuízo de ter de comprar outra coisa em cima da hora”, acrescenta Marcela.

Produto que não chega

Sim, essa situação é mais comum do que se imagina para as compras em sites internacionais. A securitária Nathália Oliveira teve um prejuízo de R$ 42 com um site alemão, onde comprou cápsulas de café reutilizáveis. “Meu pacote simplesmente não chegou, o código de rastreamento que enviaram não é aceito pelos Correios e o site parou de responder meus e-mails”, diz.

“Nesses casos, o consumidor fica de mãos atadas. É outro país, com leis diferentes das nossas, não tem Procon nem Código de Defesa do Consumidor. É um risco grande. Por isso, tome o cuidado de comprar apenas de lojas conhecidas e, ainda assim, sempre cheque o Reclame Aqui antes e as redes sociais do site em questão”, orienta Marcela.

“Exigir qualquer tipo de garantia ou ressarcimento nesses casos é uma maratona difícil de vencer. Por isso, é recomendado optar por sites que oferecem o ‘refunding’ ou reembolso em caso de extravios ou problemas com a entrega”, sugere Frederico.

Outra dica é confiar apenas em sites que utilizem formas seguras de pagamento, como o Paypal, pois eles reembolsam o consumidor em casos como esse.

Se utilizar Amazon, E-Bay, ou outros market places (lojas em que pessoas físicas podem vender produtos novos ou usados), vale também utilizar os depoimentos de outros clientes e nota de avaliação do comprador antes de fechar negócio.

Produto diferente da foto

“Comprei uma luminária que parecia bem grande na foto. Ao chegar, a decepção: era do tamanho de uma caneta. Na mesma hora, tirei foto do produto, reclamei no site Wish e obtive o reembolso no dia seguinte”, relata a jornalista Débora Cavalcanti.

No caso de comprar roupas, confira sempre a tabela de medidas do site, utilize uma fita métrica e meça-se. “A numeração deles (P, M e G) pode não ser a mesma da nossa, principalmente em locais como Estados Unidos e China. Assim, você não tem a decepção – e o prejuízo – do produto chegar e não servir”, diz Marcela.

A única forma de se prevenir nesses casos é comprando de sites que garantam o dinheiro de volta diante de insatisfação ou que aceitem troca sem cobrar frete. Ler as avaliações de outros consumidores sobre o produto antes de comprar também pode ser útil.

Veja mais dicas para aproveitar 100% de suas compras online.

Vai viajar? Confira como economizar nas compras no exterior.

Veja também

estabilidadeFinanceira_imagemNoticia
5 passos para você alcançar a estabilidade financeira
Veja como conseguir a tão sonhada estabilidade financeira e livrar-se das dívidas de uma vez por todas!  [...]
emprestimo-de-nome-cilada
Descubra porque você NÃO deve emprestar seu nome
A ação parece uma atitude corriqueira para ajudar alguém, mas emprestar seu nome pode virar uma enorme dor   [...]
Consórcio é uma boa?
Consórcio é uma boa? Entenda o que é consórcio e como aproveitá-lo ao máximo
Saiba em quais situações o consórcio é uma boa oportunidade para conquistar seus sonhos! Planejamento fina  [...]