84508450

03 novembro 2016
mbf-cartao-pre-pago-dicas
Entenda como funciona esse método de fazer pagamentos, saques e transferência e se vale a pena utilizá-lo

Um levantamento efetuado pela MasterCard em parceria com a Boston Consulting Group mostrou que, até 2017, o segmento de cartões pré-pagos movimentará cerca de US$ 18 bilhões no país. Será que você estará entre os usuários?

Segundo dados da controladora de cartões Acesso, os cartões pré-pagos são buscados especialmente para efetuar compras online, já que muitas lojas virtuais não aceitam o cartões de débito simples. No entanto, com a crescente necessidade de organizar as finanças, evitando gastar mais do que a renda familiar permite, além da dificuldade atual de se obter crédito, essa modalidade de cartão vem ganhando ainda mais espaço.

Entenda abaixo como funciona o cartão pré-pago e veja suas vantagens e desvantagens.

Como funciona o cartão pré-pago?

Você abastece o seu cartão com uma quantia e pode gastar até que o valor acabe. Isso inclui saques, pagamentos e compras. Quando tiver gasto tudo que havia colocado no cartão, não consegue mais efetuar nenhum débito, a não ser que recarregue-o. “O que o consumidor tem com o cartão pré-pago é uma espécie de conta bancária simplificada”, explica José Vignoli, educador financeiro do Portal Meu Bolso Feliz. Ele pode ser adquirido via celular ou sites especializados, bastando um cadastro, o pagamento de uma taxa de emissão e uma recarga inicial. Os valores desta recarga inicial e da taxa de emissão variam de empresa para empresa, por isso é bom pesquisar.

A recarga do cartão pré-pago, por sua vez, pode ser feita por transferência, no caixa de alguns supermercados, via canais eletrônicos de bancos ou, ainda, através de um boleto.

Quando ele é vantajoso?

São cinco os principais usos do cartão pré-pago:

1 – Colocar o orçamento em ordem
Com o cartão pré-pago não tem como usar mais do que o valor carregado. Na prática, isso significa que não há risco de ficar no vermelho, pagando os juros do cheque especial ou do rotativo de um cartão de crédito comum, que muitas vezes acontece quando utilizamos o cartão de crédito. “Ele é mais seguro porque a pessoa só gasta o que realmente tem”, explica Vignoli.

2 – Controlar um valor destinado à terceiros
Neste caso, o dono do cartão pode tanto usá-lo como forma de pagamento de mesada para os filhos como também uma maneira de pagar serviços domésticos, como, por exemplo, a faxineira.  Lembrando que a mesada é uma prática recomendada pelos especialistas apenas para crianças acima dos dez anos.

3 – Efetuar compras online quando não se possui conta bancária
Como muitos sites não permitem que as compras sejam efetuadas usando o cartão de débito e o cartão pré-pago possui uma bandeira, assim como o cartão de crédito, quem não tem conta bancária ou não tem cartão de crédito pode utilizar o pré-pago para compras em e-commerces e pagamento de assinaturas de serviços online.

4 – Segurança em viagens internacionais
Como é possível carregar seu cartão com moeda estrangeira, o pré-pago é uma boa forma de não precisar levar o dinheiro da viagem necessariamente em espécie. Além disso, utilizando o cartão de crédito você está sujeito à variação cambial entre o momento da compra e a emissão da fatura, algo que não ocorre com o pré-pago. Certifique-se apenas de escolher um internacional!

5 – Vale-presente
Embora menos comum, pode-se pedir um cartão pré-pago especialmente para presentear alguém, ou seja, em vez de dar um presente, você entrega à pessoa um cartão carregado com o montante desejado para que ela gaste da menira que preferir.

Tarifas: a principal desvantagem

Sim, ter um cartão pré-pago é muito fácil e exige pouquíssima burocracia. No entanto, é preciso ficar de olho nas tarifas! Isso porque paga-se para emitir o cartão, para recarregá-lo e para fazer saques, além da mensalidade. Assim, dependendo do uso – por exemplo, se for fazer muitos saques ou tiver que recarregá-lo muitas vezes – ele pode deixar de ser vantajoso. “O ideal é comparar essas taxas com as tarifas oferecidas por um banco, colocando na ponta do lápis especialmente o uso que se faz do cartão”, aconselha Vignoli. Dependendo dos valores e do uso, compensa mais ter uma conta corrente sem limite de cheque especial ou mesmo uma conta poupança, que não cobra tarifas e permite um número específico de saques e transferências mensais.

Outra desvantagem é a impossibilidade de parcelar compras no cartão pré-pago, assim como efetuar compras em sites estrangeiros, dependendo do cartão escolhido, já que alguns cartões pré-pago só efetuam compras em sites nacionais. Por isso fique de olho ao escolher seu cartão!

O que considerar antes de fechar uma proposta?

  • O uso que dará ao cartão. O pré-pago é vantajoso apenas em alguns casos;
  • Se o cartão possui função crédito e débito;
  • Qual a bandeira do cartão e se ela é bem aceita. Isso é importante especialmente considerando cartões internacionais;
  • Quais são os serviços oferecidos. O cartão permite que você efetue saques ou apenas compras?
  • O valor da anuidade ou mensalidade.

 

Paula Aftimus

Paula Aftimus

Jornalista com especialização na State University of New York, editora de publicações e portais do Grupo Abril e especialista em mídias digitais. Passagem acadêmica pelas áreas de Serviço Social e Educação e MBA em Gerenciamento de Projetos pela FGV

Veja também

imgNoticia
13 dicas para fazer uma festa junina barata
Quer fazer uma festa junina, mas não tem como gastar muito? Confira nossas dicas!  [...]
dividas-mbf
O que acontece quando não pagamos uma dívida
Nós sabemos que não ter as contas em dia é uma dor de cabeça. Mas o que realmente ocorre quando não pagam  [...]
tudo-sobre-credito-consignado
Tudo que você precisa saber sobre Crédito Consignado
Entenda o que é e como funciona o Crédito Consignado e quando vale a pena contratar o empréstimo Inflação  [...]