68356835

23 dezembro 2015
realizar-sonhos-crise
Em tempos de crise financeira e bolso mais vazio, veja de que forma poupar e investir para realizar seus sonhos a curto, médio e longo prazo

Mesmo em tempos de crise econômica sonhos podem, sim, se tornar realidade. O que é preciso? Comprometimento para respeitar e cumprir suas próprias metas. “Sempre que falamos em realização de sonhos, destacamos que, com um bom planejamento, conseguir juntar o valor necessário para atingir o seu objetivo pode não pesar tanto no bolso. A diferença, durante a crise, é que organização e disciplina para chegar lá devem ser redobradas,. Por isso mesmo, é preciso ter em mente que o sonho precisa ser viável considerando a renda e o estilo de vida da pessoa, caso contrário pode virar um pesadelo.

 

Na prática, isso significa maior comprometimento ao evitar gastos supérfluos, impulsos de consumo e despesas extras. E isso só é possível organizando-se muito bem financeiramente, para saber o quanto pode economizar e gastar por mês. “A partir disso, deve-se ter disposição para investir de forma correta, disciplina para poupar e acreditar que com o tempo será possível juntar a quantia necessária”, ressalta Vignoli.

Veja abaixo nosso passo a passo e realize o seu sonho:

 

1 – Saiba o tamanho do seu sonho

O custo de uma grande festa de casamento é bastante diferente do de uma viagem especial durante o feriado. Saber o tamanho do seu sonho é ter uma boa noção de quanto dinheiro precisará para realizá-lo. Só com este valor em mente conseguirá seguir para os próximos passos, que incluem descobrir de quanto tempo precisará para guardar essa grana e qual a melhor forma de fazer com que suas economias rendam. Neste passo, lembre-se de ter o pé no chão ao escolher o seu sonho, não só buscando algo que possa realizar dentro do seu planejamento financeiro, como também que não vá comprometer a sua renda no futuro. “Muita gente foca no sonho e esquece de considerar se ele vem com despesas. Um carro, por exemplo. Você pode juntar dinheiro e comprar o modelo desejado. Mas e os gastos com seguro, gasolina e reparos, terá como bancar?”, contextualiza Vignoli.

 

2 – Descubra o quanto pode guardar por mês

“Nesta etapa, deve- se fazer uma análise da renda familiar, colocando no papel cada despesa, cada gasto e, claro, o quanto entra na conta. A partir daí, tem-se uma ideia do quanto poderá ser direcionado para a realização do sonho”, explica Vignoli. Neste momento, aproveite também para decidir, em conjunto com a família, do que estão dispostos a abrir mão para atingir esse objetivo. Jantares em restaurantes, presentes fora de hora, gastos excessivos no mercado… Afinal, para sobrar mais de um lado, é preciso apertar do outro. “Nada se conquista sem esforço e com algum sacrifício”, lembra Vignoli.

Para ajudá-lo a descobrir o quanto deverá direcionar mensalmente para a realização do seu sonhos, utilize o nosso Simulador de Sonhos.

 

3 – Pesquise o melhor investimento

Tão importante quanto economizar é investir o dinheiro guardado da melhor maneira. “Essa escolha depende, basicamente, do tempo que a pessoa tem para deixar o valor guardado e sempre respeitando o seu perfil como investidor seja ele conservador ou arrojado”, explica o educador financeiro. Abaixo, listamos as melhores opções para sonhos a serem realizados em curto, médio e longo prazo. Lembrando que informar-se muito bem antes de investir é fundamental! “Além do gerente do banco, fique atento à opinião de amigos, especialistas e em jornais, revistas e, claro, à internet. Com opções bem estruturadas, coloque tudo em uma planilha, analisando prós e contras. Não se pode escolher um investimento somente porque ele está na moda e sim porque é o melhor para o seu perfil e necessidade”, diz Vignoli. E lembre-se: o que vai fazr seu dinheiro crescer é a sua disposição em poupar.

 

Curto prazo

Fazer uma viagem, fazer uma pequena reforma, etc. são sonhos que podem ser realizados em curto prazo, o que significa economizar por cerca de um ano ou menos.

Como o tempo de economia é curto, vale colocar seu investimento na poupança, mesmo com o investimento rendendo abaixo da inflação. Isso porque, tendo o dinheiro na poupança, você poderá sacá-lo quando quiser, sem prejuízos. Além disso, nessa aplicação não existem cobranças de taxas administrativas ou de imposto de renda. “Mas vale ficar atento, pois à medida em que você colocar mais dinheiro na poupança, o valor total vai aumentar. Dependendo do montante, talvez, valha a pena mudá-lo de aplicação”, ensina Vignoli.

 

Médio prazo

Comprar um carro, pagar uma pós-graduação, organizar uma festa de casamento, fazer uma grande reforma, etc. são sonhos que precisam de um tempo maior de economia para serem realizados. Mas que, com disciplina, podem ser alcançados em menos de cinco anos.

Atualmente, um bom investimento para planos a médio prazo é o Tesouro Direto, que conta com rendimentos brutos que chegam a até 13 por cento, dependendo do tipo de papel. Outra opção seria o CDB (Certificados de Depósitos Bancários).

 

Longo prazo

Aqui entram os grandes sonhos, como a compra de um terreno ou de uma casa, abrir o próprio negócio ou mesmo fazer uma grande viagem para o exterior com toda a família.

No caso da casa, pensando de forma realista, o objetivo deve ser juntar o máximo que puder para dar uma boa entrada para, em seguida, assumir um financiamento. Quando o sonho é a longo prazo, pode-se aplicar no Tesouro Direto, nas Letras de Crédito Imobiliário (LCI) ou nas Letra de Crédito do Agronegócio (LCA).

 

5 dicas que ajudam no processo de economizar para realizar um sonho

1 – Inclua no orçamento mensal o “custo do seu sonho”, como se ele fosse mais uma despesa do mês que você precisa pagar;

 

2 – Fuja das compras a prazo. Muita gente prefere essa medida para realizar o sonho mais rapidamente. No entanto, na maioria das vezes o que você pagará de juros duplicará o valor do seu objetivo. Além disso, o pagamento a vista pode render bons descontos!

 

3 – Ao fazer um investimento, informe-se sobre os impostos, taxa de administração e rentabilidade das aplicações escolhidas. Pesquise e entenda bem onde está investindo o seu dinheiro;

 

4 – Tenha disciplina, foco e controle emocional. Sempre que pensar em gastar com algo que não necessita, lembre-se do seu sonho e do esforço que vem fazendo para realizá-lo. “O que é mais importante, ter essa blusa da moda hoje ou realizar o casamento dos sonhos amanhã? Especialmente em tempos de crise, é importante ter claro qual a sua prioridade”, aconselha Vignoli. Neste caminho para alcançar seu objetivo, tenha controle sobre sua vontade de consumir quando em shoppings e outros centros de consumo, evite ceder ao impulso de “aproveitar” uma promoção “imperdível” e evite gastos com supérfluos que custam baratinho, mas que somados resultam em uma grana no fim do mês. “Essas alegrias momentâneas acabam desviando o dinheiro reservado para a realização do seu sonho, por isso é preciso estar alerta”, complementa o educador;

 

5 – Após realizar o seu sonho, redirecione o dinheiro que antes era reservado para essa função para outro fim, não deixando de poupar. Afinal, agora que já inseriu essa despesa em seu orçamento, criar uma reserva maior fica mais fácil.

 

Saiba mais

Tesouro Direto: boa opção para os seus investimentos

10 passos para realizar os seus sonhos

O casamento que cabe no seu bolso

 

Paula Aftimus

Paula Aftimus

Jornalista com especialização na State University of New York, editora de publicações e portais do Grupo Abril e especialista em mídias digitais. Passagem acadêmica pelas áreas de Serviço Social e Educação e MBA em Gerenciamento de Projetos pela FGV

Veja também

material-escolar-barato-mbf
5 estratégias para gastar menos na compra do material escolar
Apesar dos valores mais altos, é possível adquirir todos os itens da lista sem se enrolar financeiramente. O  [...]
mbf_banner_noticias_05
INSS começa a pagar primeira parcela do 13º salário.
Desde ontem (25/8), a Previdência Social começou a pagar mais de 29 milhões de benefícios como parte da pr  [...]
Crédito
Saiba como ter crédito sem ter conta em banco
Mesmo sem possuir poupança ou conta corrente, os não-bancarizados movimentam R$ 665 bilhões por ano. Descub  [...]