52415241

30 dezembro 2014

mbf_banner_noticias_17-5swkg

Tudo que você precisa saber antes de substituir a sua aplicação por outra

Será que você está investindo seu dinheiro da melhor forma possível? Muita gente toma a decisão de aplicar suas economias e simplesmente esquece o assunto, pensando “meu dinheiro está rendendo, é isso que importa”. No entanto, pode ser que outras opções de aplicações favoreçam muito mais o seu investimento. “Se a taxa básica de juros está em declínio, por exemplo, pode não ser vantajoso aplicar em investimentos atrelados à Selic”, aponta a economista chefe do SPC Brasil Marcela Kawauti.

 
Veja abaixo o que considerar para descobrir se, afinal, está na hora de você trocar de aplicação ou se o melhor é continuar como está.

 

Possíveis motivos para pensar em trocar de investimento

1- Baixa rentabilidade. Será que a sua aplicação está rendendo tanto quanto outras similares? Opções como o Tesouro Direto podem oferecer rentabilidade superior à poupança, por exemplo.

 

2- Conhecimento financeiro. A partir do momento que você tem um maior conhecimento ou possui assessoria de alguém que entende do assunto, pode começar a considerar opções mais sofisticadas, que podem render mais.

 

3– Prazo para investimento. Há aplicações em que, quanto mais tempo o dinheiro fica investido, menor a alíquota de imposto de renda descontada (CDB, por exemplo). Ou seja, o tempo que pretende deixar a grana aplicada é chave ao optar por trocar – ou não – de aplicação.

 

4– O quanto você já tem guardado. Em certas aplicações, dar uma entrada maior pode significar uma taxa de administração baixa (renda fixa, por exemplo). Assim, para quem ainda não juntou muito, pode ser mais vantagem manter o dinheiro na poupança, por exemplo, e só depois de algum tempo trocar de investimento.

 

5- Diversificação. À medida que você vai aumentando a sua reserva financeira vale a pena começar a pensar em diversificar os tipos de investimentos, diluindo riscos e melhorando a rentabilidade média.

 

As perguntas que devem ser respondidas antes da troca de aplicação
Vale esperar o prazo vencer?

Caso tenha um tempo estabelecido pelo banco para manter sua verba na aplicação anterior, você pode arcar com uma rentabilidade líquida menor ao fazer a transferência. Dependendo da redução, talvez a mudança não valha a pena. Além disso, em alguns tipos de aplicação, como o CDB, o imposto de renda cobrado é regressivo, ou seja, diminui se você deixar o dinheiro aplicado por mais tempo.

 

Como está a situação do país?

É um bom momento para realizar uma mudança? Para ajudar nessa resposta, é fundamental avaliar a situação econômica do país. Segundo ressaltou a economista, em momentos em que a economia vai bem, por exemplo, manter um investimento atrelado a ações pode ser um bom negócio.

 

Preciso de dinheiro em curto prazo?

Sendo o seu caso, mesmo frente uma aplicação com juros mais vantajosos, pode ser que mudar não seja um bom negócio, afinal, considerando o tempo em que o dinheiro será investido, compensa deixá-lo onde está.

 

Qual o valor da taxa de administração?

Muitas vezes, um novo investimento parece altamente vantajoso quando comparado ao seu atual. Porém, a instituição financeira cobra uma taxa de administração tão alta que o faz não valer tão a pena assim. “Às vezes, o investimento tem um rendimento muito bom, mas a taxa de administração é muito alta e come o rendimento, com isto o ganho final é praticamente o mesmo”, esclarece Marcela. Fique de olho!

 

É hora de decidir!

Para obter todas as informações necessárias para responder as perguntas acima, converse com o seu gerente (se ele for de sua confiança, claro), pesquise bastante na internet e troque informações com amigos e especialistas. Nosso Simulador de Investimentos também pode ajudá-lo.

 

Após avaliar todas as informações obtidas a partir das perguntas sugeridas acima, procure responder, com lápis e calculadora em mãos, uma questão final, proposta pela economista: “O rendimento líquido (o conjunto de ganhos obtidos após todos os descontos) da nova aplicação superará o rendimento líquido do investimento em que seu dinheiro está?”

 

Um exemplo simples é a comparação de uma aplicação em poupança versus uma aplicação em um fundo de investimentos. A poupança é uma aplicação isenta de taxa de administração e de imposto de renda. Ou seja, ao comparar a poupança com uma aplicação em um fundo de investimentos, além do rendimento líquido deste último, deve-se levar em conta as taxas de imposto de renda e administrativas cobradas sobre este investimento. Se a resposta for positiva, é hora de trocar de aplicação!

 

Saiba mais

Poupar para realizar seu sonho

Economizar em tempos de inflação 

Guia para investir no seu sonho 

 

Paula Aftimus

Paula Aftimus

Jornalista com especialização na State University of New York, editora de publicações e portais do Grupo Abril e especialista em mídias digitais. Passagem acadêmica pelas áreas de Serviço Social e Educação e MBA em Gerenciamento de Projetos pela FGV

Veja também

combos-promocionais-dicas-fugir-ciladas
Combos promocionais, cuidado com a tentação
Pacotes mais baratos, planos irresistíveis. Será que todas essas ofertas são mesmo interessantes e fazem be  [...]
Crédito
Saiba como ter crédito sem ter conta em banco
Mesmo sem possuir poupança ou conta corrente, os não-bancarizados movimentam R$ 665 bilhões por ano. Descub  [...]
autonomoFotoNoticia
7 dicas para um profissional autônomo aumentar a renda
Veja como aumentar sua renda em qualquer época!   [...]