46854685

09 setembro 2014

mbf_banner_noticias_02-lfti3

Saiba como funciona e aprenda a tirar proveito dessa alternativa

Pense no seu cartão de débito. Agora imagine que ele não é conectado a nenhuma conta corrente, banco e, mais do que isso, você decide com a frequência que quiser qual o valor que ele carregará. É assim que funcionam os pré-pagos. “O portador do cartão carrega um valor em dinheiro, que será usado para saques, compras e pagamentos de serviços. A cada débito, o valor diminui até que o saldo do cartão pré-pago acaba.”, explica Marcela Kawauti, economista do SPC Brasil.

 

A alternativa é ideal para quem não tem como comprovar renda, não quer abrir uma conta em banco ou tem dificuldade para se controlar “O cartão pré-pago pode ser usado, também, para controle dos pais, por meio da mesada”, explica Paulo Volpe, sócio da empresa Brasil Pré-Pagos. Saiba mais sobre a modalidade:

 

Os tipos de cartão pré-pago:

1) Cartão pré-pago para uso em território nacional: só pode ser usado no Brasil e é carregado em reais.

2) Cartão pré-pago para viagens internacionais: pode ser carregado em moeda estrangeira e usado fora do Brasil.

 

Quem deve usar esse tipo de cartão:
Crianças e adolescentes

Para o público infantil ele pode ser usado como mesada. “Os pais podem, inclusive, acompanhar todos os gastos pela internet. Assim é mais fácil, não só ensinar o filho a ter uma quantidade limitada de dinheiro para gastar, como também a fazer as melhores escolhas”, explica Marcela.

 

Mas cuidado: um cartão com limite pré-estabelecido deve ser uma opção para adolescentes e pré-adolescentes, ou seja, a partir dos 10 anos. “Antes disso, a criança tem uma forma de raciocínio que necessita de maior solidez e, por isso, o papel moeda cumpre melhor essa função do que o cartão, que é bem mais abstrato”, explica Tania Zagury, mestre em educação e colunista do Portal Meu Bolso Feliz.

 

Adultos

O cartão pré-pago é a modalidade de crédito mais simples do mercado, depois do dinheiro. “Ele acaba substituindo o cheque, mas é mais seguro porque a pessoa só gasta o que realmente tem”, explica José Vignoli, educador financeiro do Portal Meu Bolso Feliz. Por isso, ele é indicado por pessoas que têm dificuldade em se controlar financeiramente e, com o pré-pago, acabam limitando seus gastos pela quantia colocada no cartão. A opção também é atrativa para quem não pode comprovar renda, não tem interesse em abrir uma conta em banco ou precisa controlar a vida financeira de um terceiro.

 

mbf_banner_noticias_03

 

Sugestão de tabela de preços:

Custos médios de um cartão pré-pago (Os valores variam de acordo com a empresa escolhida)

 

mbf_banner_noticias_04

 

Cuidados ao adquirir um cartão pré-pago:

Não esqueça de escolher a bandeira do cartão, optando por uma que seja mais aceita na maioria dos estabelecimentos. Outro ponto importante é sempre lembrar que essa modalidade funciona apenas como dinheiro. “No aluguel de carros em viagens internacionais, por exemplo, é preciso um cartão de crédito”, alerta Marcela. Além disso, você não pode fazer parcelamentos com ele.

 

Natália Chagas

Natália Chagas

Jornalista, com especialização em marketing e vasta experiência em revistas e portais de notícia. Foi editora de mídias digitais do grupo GR1 Editora e produziu conteúdo para diversas publicações do Grupo Abril, Editora Globo, Folha de São Paulo, entre outros.

Veja também

empresa-financa-mbf
9 dicas para garantir a saúde financeira de sua empresa
Se você tem ou sonha em ter um negócio próprio, fique atento às dicas para manter as contas da sua empresa  [...]
inadimplente
33% dos brasileiros estão inadimplentes
Estimativa do SPC Brasil revela que já são mais de 52 milhões de pessoas com o nome sujo no país. Entenda   [...]
quanto-custa-ter-um-filho-economizar
Planeje-se financeiramente para ter um filho
Veja como se organizar para ter um filho sem passar apertos, considerando gastos do nascimento até o término  [...]