48304830

25 setembro 2014

mbf_banner_noticias_13-rjjag (1)

Criar o hábito de juntar pequenos valores pode contar como um extra no final do mês

Você já parou para pensar em quanto dinheiro teria depois de 30 dias caso guardasse todas as moedas e pequenos valores que recebe diariamente? O troco do ônibus, as moedas devolvidas pelo padeiro ou aquele R$1 que sobra do café que você toma depois do almoço são valores normalmente desprezados porque pesam na bolsa, fazem barulho ou, simplesmente, são baixos, mas que podem fazer a diferença depois de um tempo.

Por isso, o Portal Meu Bolso Feliz aconselha: não despreze os pequenos valores. “Guardar o troco em cofrinho é um hábito financeiro saudável e que pode ajudar a pagar algumas despesas extras, além de fazer você passar a valorizar seu dinheiro”, aconselha José Vignoli, educador financeiro. Quer saber como?

 

EXIJA SEMPRE SEU TROCO

Muitos estabelecimentos têm o costume de oferecer o troco em bala e é dever do consumidor exigir, mesmo que seja uma quantia mínima, o troco em moeda. Afinal, cada bala ou chocolate que você recebe, se fosse dinheiro, poderia ser usado para o lazer no fim do mês.

O programador Roberto Vogel sabe que essa experiência dá bons resultados. Pai de uma menina de dois anos, ele conta que usa todo o dinheiro que guarda no cofrinho para comprar as fraudas da filha: “Quando ela nasceu, resolvi comprar um cofre e colocar cada centavo dentro dele. No Natal, meu sogro me deu uma caixa cheia de moedas para colocar no porquinho dela.” Esse incentivo resultou numa soma de R$300 em pouco tempo e Roberto viu a oportunidade de comprar as fraudas de sua filha: “É um dinheiro que faz a diferença no final do mês porque a despesa com esse tipo de produto é muito alta.”

 

JUNTE MOEDAS POR UM TEMPO DETERMINADO

A curto e médio prazo a prática de juntar moedas e pequenos valores em casa é bem-vinda, mas lembre-se: dinheiro parado por muito tempo não rende e seu poder de compra acaba diminuído pela inflação. Além disso, segurar esse dinheiro em casa, sem fazê-lo circular no comércio, pode atrapalhar os comerciantes que lindam com vendas de baixo valor (esta é uma das razões pela qual eles tentam te dar a bala no lugar do dinheiro). “Quando falta troco no comércio é porque faltam moedas em circulação, pois parte delas está parada em cofrinhos ou até pelos bolsos das pessoas”, explica Vignoli.

 

MANTENHA O HÁBITO DE FORMA INTELIGENTE

– Prefira cofrinhos de pequeno a médio porte, pois assim você evitará o acúmulo moedas por muito tempo.

– Não largue suas moedas em diversos locais. Aprendendo a organizar seu dinheiro, você não corre o risco de perdê-lo.

– Para evitar o esquecimento das moedas em qualquer canto, crie o hábito de chegar em casa e já colocar todos os trocos dentro do cofrinho ou em uma caixinha.

– Mobilize sua família e una forças. Se mais de uma pessoa guardar seus trocos, mais dinheiro você terá no fim do mês. E foi isso que fez o administrador José Paulo Cintra. “Depois de uma limpeza no meu carro, encontrei quase R$10 em moedas e, por isso, tive essa ideia. Cheguei em casa, reservei uma caixinha e avisei a família toda que aquela seria nossa  agregadora de moedas. O pessoal gostou e, em 1 ano, compramos uma TV nova”.

– Se você não sabe quando é o momento certo para trocar seu dinheiro, espere até que seu cofrinho fique cheio. Neste momento, troque suas moedas por algum produto ou deposite o valor na poupança para sua reserva começar a render.

mbf_banner_noticias_08-hhroj

Natália Chagas

Natália Chagas

Jornalista, com especialização em marketing e vasta experiência em revistas e portais de notícia. Foi editora de mídias digitais do grupo GR1 Editora e produziu conteúdo para diversas publicações do Grupo Abril, Editora Globo, Folha de São Paulo, entre outros.

Veja também

autonomoFotoNoticia
7 dicas para um profissional autônomo aumentar a renda
Veja como aumentar sua renda em qualquer época!   [...]
casamento-spc-brasil
Faça sua festa de casamento mesmo na crise!
Para quem sonha em casar e acha que precisará deixar o desejo de lado por causa da crise, temos uma boa notí  [...]
como-viver-sem-apertos-financeiros
7 práticas para viver sem aperto financeiro
De acordo com pesquisa realizada pelo SPC Brasil, 46 por cento dos brasileiros não controlam seu orçamento.   [...]