67026702

19 novembro 2015
black-friday-dicas-descontos

 

A Black Friday acontece na sexta, dia 27 de novembro. Veja como aproveitar os descontos e o que fazer para não cair em cilada

Está chegando a tradicional data promocional de diversas lojas em todo o país, a Black Friday, que neste ano acontece no dia 27 de novembro. Mesmo em meio à crise, os organizadores do evento acreditam que em 2015 serão movimentados mais de R$1 bilhão nas 24 horas de promoções e descontos nos e-commerces brasileiros – isso sem contar as lojas físicas que também participam da data. Segundo o Busca Descontos, site que promove o Black Friday no Brasil, o baixo movimento do comércio neste ano deve impulsionar os lojistas a oferecerem descontos ainda maiores, já que precisam se livrar de grandes estoques.

 

Quem pretende aproveitar a sexta edição no evento aqui no Brasil deve tomar alguns cuidados e, claro, pesquisar preços antes de sair gastando. “É fundamental pesquisar muito bem o que você deseja e fugir das compras por impulso. Afinal, a empolgação com os descontos pode trazer sérios prejuízos para o seu bolso”, diz José Vignoli, educador financeiro do Portal Meu Bolso Feliz. Ou seja, antes de sair por aí gastando avalie a real necessidade em adquirir cada produto, evitando que sua conta fique no vermelho em pleno fim de ano. Lembre-se que, mesmo que seja um produto barato, comprar algo que não será usado pode ser prejudicial para as suas finanças.

 

Saiba mais sobre a Black Friday e veja como fugir de ciladas para garantir mais do que bons descontos, boas compras!

 

Como fazer boas compras na Black Friday?

O que comprar:

Uma data como esta, vendida como “24 horas de promoções e descontos de até 70 por cento”, pode se transformar num pesadelo financeiro para quem não tem controle. “Sair comprando só porque os preços estão mais baixos só faz com que você gaste muito, certamente mais do que teria a necessidade”, explica Vignoli. Ao aproveitar as promoções da Black Friday é preciso ter em mente o objetivo de fazer boas compras, não de conseguir o maior desconto. “Uma coisa não está ligada a outra. Adquirir algo que não precise por um preço mais baixo não é uma boa compra. Isso só é bom negócio para o comerciante”, alerta o educador financeiro. Para aproveitar de verdade os descontos oferecidos na Black Friday:

• Faça uma lista de tudo o que precisa. Assim, poderá pesquisar os preços dos itens com antecedência, sabendo se realmente estarão com um bom desconto durante a Black Friday. Compre somente se os produtos estiverem com descontos de fato interessantes;
• Utilize aplicativos ou sites com comparação de preços para avaliar onde estão as melhores ofertas;
• Evite comprar pelo celular, uma plataforma que te dá menos chance de pesquisar e mais chances de comprar sem pensar;
• Caso aproveite a Black Friday para comprar presentes de Natal, tenha muito atenção com a data de entrega do produto. Segundo o site Reclame Aqui, grande parte das reclamações após o evento foram devido a sites que prometeram entregar em uma data e não cumpriram o combinado!
• Defina um valor máximo para gastar na data. Afinal, é fácil perder o controle em compras online, em especial com cartão de crédito.
• Ao efetuar a compra online, tente pagar com boleto bancário, paypal ou cartão de débito. “Grande parte dos sites oferecem descontos no pagamento com boleto bancário. Além disso, ele pode ser uma boa alternativa para quem não possui um bom limite para compras com o cartão de crédito”, explica Marcela Kawauti, economista-chefe do SPC Brasil.
• Tenha foco! Muitas vezes entramos em um site para aproveitar o desconto em um único produto, mas acabamos enchendo o carrinho com ofertas sugeridas pela própria loja virtual.

 

Onde comprar:

Tente comprar sempre nos mesmos sites e, se for mudar de local, pesquise a procedência do mesmo em sites como Reclame Aqui e Procon. Se a loja virtual tiver redes sociais, dê uma olhada nos comentários nas fotos e posts. Vale até mesmo checar como a loja atendeu seus consumidores no ano passado. As pessoas costumam dizer se gostaram do produto, se demorou pra chegar e se a qualidade é boa. Outra dica é ver se a loja tem o Selo Black Friday Legal (veja abaixo).

Embora a Black Friday aconteça predominantemente na internet, algumas lojas físicas adotarão as 24 horas de desconto. No entanto, a maioria não altera seu horário de funcionamento, ou seja, não ficam abertas durante a madrugada. Por isso, para saber onde comprar, pesquise antes o horário de abertura das lojas e procure chegar o mais cedo possível, afinal, os estoques das lojas físicas são menores e os produtos com os melhores preços costumam ser os primeiros a acabar.

Vale ficar de olho também nas lojas que, aproveitando a oportunidade, oferecem descontos até uma semana antes da sexta-feira da Black Friday. Cuidado apenas para não gastar o que reservou com estes descontos antecipados e acabar perdendo descontos maiores no dia 27.

 

Quando comprar:

Segundo pesquisa do site comparador de preços Zoom, 45 por cento das pessoas que pretendem aproveitar os descontos da data compram logo nas primeiras horas, entre 00h e 6h. Isso pode significar maior lentidão nos sites, mas também evita que o produto desejado acabe no estoque – o que pode acontecer caso espere para comprar no final da sexta-feira. Horários mais tranquilos são das 9h ao meio-dia e das 15h às 18h.

 

Como não cair em furadas na Black Friday?

Há algumas edições foi grande o número de denúncias de lojas que aumentavam o preço de um item apenas para oferecer um falso desconto durante a Black Friday – que, na época, passou até a ser chamada de “Black Fraude”. Tanto que, na edição do ano passado, a Câmara de Comércio Eletrônico disponibilizou em seu site o Código de Ética da Black Friday no Brasil, deixando claro quais são as obrigações das lojas virtuais associadas. A principal? “Não aumentar o valor do desconto ao frete ou utilizar qualquer dispositivo de maquiagem de preços”. O número de queixas registradas no site Reclame Aqui durante a Black Friday de 2014, no entanto, foi 12 mil. Ou seja, todo cuidado é pouco ao se aventurar no mundo das promoções nessa maratona de descontos.

Nas lojas físicas, não deixe o tumulto, o fato de o local estar cheio, as filas ou algum vendedor apressado te impedir de avaliar com calma o produto que está levando. Peça para abrir a caixa, teste se está funcionando adequadamente (no caso de eletrônicos, por exemplo) e pergunte sobre as regras para troca. E, assim como deve ser feito com os produtos online, verifique antecipadamente o preço dos itens que deseja, certificando-se de que de fato existe um bom desconto.

 

Veja 10 recomendações da Fundação Procon-SP para fugir de ciladas durante a Black Friday, tanto em lojas físicas quanto online:

1 – Evite sites que exibem como forma de contato apenas um telefone celular;
2 – Prefira fornecedores recomendados por amigos ou familiares, ou em que você já comprou;
3 – Instale programas de antivírus e o firewall (sistema que impede a transmissão e/ou recepção de acessos nocivos ou não autorizados) e os mantenha atualizados em seu computador;
4 – Nunca realize transações online em lan houses, cybercafés ou computadores públicos;
5 – Imprima ou salve todos os documentos que demonstrem a compra e confirmação do pedido (comprovante de pagamento, contrato, anúncios etc.);
6 – As trocas são, sim, permitidas, mesmo para o comércio online e em promoção. O Código de Defesa do Consumidor (CDC) estabelece prazo de 30 dias para reclamações sobre problemas aparentes no caso de produtos não duráveis e de 90 dias para itens duráveis, contados a partir de sua constatação. Essa reclamação pode ser feita para o próprio comerciante ou para o fabricante;
7 – Se a loja informar que o produto comprado na liquidação poderá ser trocado, peça que escrevam essa informação na nota fiscal, na etiqueta ou em um cartão da loja para evitar problemas futuros. Isso porque não há obrigação legal de troca por questões de tamanho, cor ou modelo;
8 – Sempre que possível, verifique as promoções oferecidas pela loja e guarde folhetos publicitários ou encartes. Além de se organizar melhor, sabendo onde encontrar o que deseja o e o quanto pagará pelo item, você também garante que o estabelecimento seja obrigado a cumprir o que prometeu. Segundo o CDC, toda oferta de produto obriga o fornecedor que a veiculou a cumpri-la;
9 – Cuidado com promoções que, na verdade, apenas incentivam o consumidor a levar mais itens, gastando mais. “Desconto de 30 por cento na segunda peça”, por exemplo. Ou “parcele em 6x em compras acima de R$300”. Foque no que de fato precisa!
10 – Optando por parcelar e no caso de emissão de cheque pré-datado, coloque-o nominal à loja, anotando no verso o dia combinado para o depósito e exija que esta informação conste na nota fiscal.

 

O que é o Black Friday Legal?

O Selo Black Friday Legal é concedido pela Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico e identifica as empresas que aderiram ao Código de Ética da iniciativa, comprometendo-se com as boas práticas do e-commerce, e foram aprovadas no processo de avaliação da entidade, que verifica, entre outros pontos, se o site disponibiliza aos consumidores informações como CNPJ, Razão Social, endereço completo e formas de contato. Portanto, antes de efetuar sua compra, procure pelo Selo Black Friday Legal!

 

 

Saiba mais:

13 regras  da boa compra online

O que fazer para evitar comprar por impulso

Como fazer boas compras coletivas

Paula Aftimus

Paula Aftimus

Jornalista com especialização na State University of New York, editora de publicações e portais do Grupo Abril e especialista em mídias digitais. Passagem acadêmica pelas áreas de Serviço Social e Educação e MBA em Gerenciamento de Projetos pela FGV

Veja também

noticiaPerdeuEmprego
Perdeu o emprego? Veja como fugir da inadimplência
O primeiro passo é otimizar os gastos, se organizando financeiramente. Aprenda como fazer!  [...]
mbf_banners_portal_223x86_31
Vantagens e desvantagens dos programas de fidelidade
  Entenda como funcionam os programas de fidelidade e veja como tirar proveito deles! Pontos, milhas, um   [...]
mbf_banner_noticias_12-m0937
Vale a pena comprar um imóvel na planta?
Vejas as vantagens, as desvantagens e os riscos de investir em um empreendimento que ainda não saiu do papel   [...]