41384138

18 julho 2014
mbf_banner_noticias_19-10dkfy
O passo a passo para você investir em suas ideias e começar uma nova carreira

Independentemente da profissão, a maioria dos trabalhadores insatisfeitos com a atual colocação no mercado tem as mesmas reclamações: prazos apertados, pouca autonomia, carga excessiva de trabalho, salário incompatível com a responsabilidade. Mas só em 2013, quase duas milhões de pessoas deixaram o time dos reclamações e investiram no sonho do negócio próprio. Isso significa que o número de novas empresas cresceu 8,8% comparado ao ano anterior. Um desses novos empreendimentos é o Petbox Brasil, um clube de assinaturas gratuito para gatos e cachorros, criado pela jornalista Lígia Menezes, onde os donos dos animais se cadastram e recebem, mensalmente, algumas novidades interessantes ao universo pet.
 
“Há quase quatro anos pensava em investir em um negócio próprio juntamente com o meu sócio. Então, começamos a estudar diversos mercados para descobrir em qual segmento conseguiríamos entrar, principalmente considerando que não tínhamos muito dinheiro para investir”, conta Lígia, sócia e responsável pelo marketing da empresa.
 
Após muita pesquisa, a empreendedora descobriu que o Brasil é o segundo maior mercado pet do mundo– o primeiro é os Estados Unidos – e deduziu que não havia no mercado uma empresa que distribuísse amostras grátis de produtos para pets e colhesse opiniões sobre eles. “Então, colocamos no ar o PET BOX BRASIL . Nós mesmos criamos o portal por meio de uma plataforma gratuita. No site, os interessados em receber amostras grátis e dar sua opinião sobre elas preenchem um cadastro sobre seus gatos e cachorros, respondendo perguntas como peso, porte, data de nascimento, se tem algum problema de saúde…”, conta Lígia, que complementa: “Com essas informações, as empresas conseguem enviar seus produtos exatamente para seu público alvo”.
 
Em apenas seis meses, mais de 80 mil pets foram cadastrados no Petbox Brasil e, a partir daí, o negócio deslanchou. Pensando em seguir os mesmos passos? Confira o passo a passo preparado pelo administrador e consultor de novos negócios Reynaldo Lima e por José Vignoli, educador financeiro do Portal Meu Bolso Feliz.
 
mbf_banner_noticias_22-4q92f
 

1 – Conheça o mercado

Antes de decidir por uma nova área de atuação, conheça profundamente o mercado no qual está se envolvendo. Não adianta apenas ter afinidade com o assunto que você pretende transformar em negócio, pois, você precisa de informações capazes de levar o negócio adiante, afinal hoje o mercado exige muito profissionalismo que adicionado a sua facilidade com o assunto podem levar a o sucesso
 

2 – Encontre a resposta

Existe público para o produto ou serviço que você pretende oferecer? Encontrar resposta para essa pergunta é fundamental para o seu negócio ir adiante. Fazer uma pesquisa em redes sociais pode ajudar nessa busca.
 

3 – Tenha reserva financeira

Nem sempre um negócio dá retorno financeiro rápido. Então, antes de embarcar nessa nova carreira, tenha reservas financeiras para bancar suas despesas pessoais e da empresa durante o tempo que você estima para o início do retorno do investimento
 

4 – Abra os ouvidos e vá a campo

Ouça o que outros empreendedores têm a dizer sobre montar o próprio negócio. Peça dicas, conselhos a vários empresários, visite negócios da mesma área, frequente em dias e horários alternados a rua e o bairro onde pretende abrir o negócio e selecione as informações que podem fazer diferença na sua nova carreira.
 

5 – Identifique a concorrência

Conheça muito bem seus concorrentes e o tamanho do mercado Caso sua ideia não seja inédita, investigue como os seus oponentes trabalham e busque oferecer um diferencial. Neste ponto a localização do novo negócio poderá ser fundamental.
 

6 – Resolva a burocracia

Para resolver questões burocráticas, como abertura de firma, contrate um contador de confiança, alguém indicado para poder lhe informar com segurança de toda a burocracia, prazos e responsabilidades que você irá assumir.
 

7 – Coloque tudo no papel

Desenvolva um plano de negócio. Ou seja, registre informações importantes como o capital necessário para colocar o negócio em pé, o estoque, o capital de giro, despesas de reforma do local e aluguel etc para então verificar quanto você precisará faturar para fazer um lucro que compense a empreitada. Deixar uma verba para despesas extras é importante. Isso ajudará a lidar com qualquer surpresa que possa surgir no caminho
 

8 – Invista nos cursos

Agora você é o dono e precisa saber administrar uma empresa, independentemente de ela ser pequena ou grande. Uma busca no site do SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) te ajudará a entender um pouco mais sobre empreendedorismo. Lá você conseguirá descobrir palestras e cursos capazes de auxiliar na tomada de medidas do seu novo negócio. E mais: os cursos online são gratuitos e  contemplam temas importantes para o novo empreendedor. Exemplo: aprenda a empreender, como iniciar um novo negócio, planejamento financeiro e vendas, entre outros. Confira a lista completa dos cursos gratuitos aqui. 
 

9 – Peça ajuda a um consultor

O SPC Brasil oferece uma plataforma onde você, empresário, seleciona sua necessidade e encontra a melhor solução para sua empresa
 
Responda algumas perguntas básicas, e o consultor online vai definir qual ou quais produtos são ideais para sua necessidade. 

 

Natália Chagas

Natália Chagas

Jornalista, com especialização em marketing e vasta experiência em revistas e portais de notícia. Foi editora de mídias digitais do grupo GR1 Editora e produziu conteúdo para diversas publicações do Grupo Abril, Editora Globo, Folha de São Paulo, entre outros.

Veja também

mbf2
O Guia do Cheque Especial e Cartão de Crédito
A maioria dos brasileiros já usou ou usa uma dessas modalidades. Então, conheça os prós e contras de ambos  [...]
serie-guardaroupa-mbf
Economize ao montar o guarda-roupa do seu filho
Na hora de comprar novas roupas e acessórios para agradar os pequenos, os pais não medem esforços. Avalie   [...]
mbf_banner_noticias_16
Parcelamento pode ser vilão na hora das compras
12% dos brasileiros acreditam que só conseguem adquirir tudo que precisam com a ajuda de parcelamentos e empr  [...]