50805080

05 novembro 2014

mbf_banner_noticias_14-p9fas

O mundo digital está cheio de opções rentáveis, mas os golpes também são muitos. Saiba como se dar bem com alternativas seguras

O primeiro passo para começar a ganhar uma graninha extra na internet é saber que não existe dinheiro que cai do céu, ou melhor, que vem fácil da web. Ou seja, aquelas promessas de que você vai ganhar fortunas do dia para a noite sem fazer qualquer esforço são irreais. Muitas vezes são apenas um vírus que se instala em seu computador ou, mais do que isso, uma fraude para caçar seu dinheiro. Assim, o primeiro passo para reconhecer o que é mentira na internet é fugir de propostas de dinheiro fácil e prêmios inesperados: “O Faustão não dá prêmios aleatoriamente; nenhuma loteria avisa no seu celular que você ganhou alguma coisa; você provavelmente não é o visitante 1.000.000 daquele site e não há herdeiros riquíssimos que dividiriam sua fortuna com um internauta qualquer. Resumindo: não clique ou dê nenhum dado a sites e mensagens no Whatsapp ou SMS com promessas desse tipo”, alerta Luiz Yassuda, diretor da Alma Beta.

 

Por outro lado, é verdade que as opções e maneiras diferentes de ganhar uma graninha extra com a ajuda da Internet, com um mínimo de investimento e dedicação, vêm crescendo no universo online. “Eu tinha algumas roupas em casa que não usava mais e resolvi vendê-las pela internet. Criei um site simples, sozinha mesmo, uma página no Facebook e um perfil no Instagram. Com o aumento da procura, resolvi fazer um bazar físico e amigos e parceiros começaram a vender suas roupas nele. Atualmente, já estamos indo para quarta edição e a divulgação do evento e das peças continua sendo pela internet”, conta Paula Ferreira, empresária.

 

Opções seguras para ganhar dinheiro na Internet
Redes sociais

Usar as redes sociais para divulgar seu trabalho é um excelente caminho para aumentar ganhos. “Hoje as redes sociais permitem fazer o que chamamos de ciclo de negócios, que nada mais é do que trazer para suas páginas pessoas que têm interesse em seus produtos ou serviços e mostrar através do conteúdo os benefícios que sua empresa oferece,  interagir e ouvir dos seus fãs o que eles pensem sobre sua marca e direcioná-los para compra”, explica Rafael Brito, especialista em conteúdo na Goomark.

 

Mas, lembre-se: os fãs estão cada vez mais exigentes e nos obrigam a produzir um conteúdo relevante para quem lê. “Eu sempre adorei fazer fuxico e recebia encomendas de toda a família. No boca a boca, mais pessoas começaram a me pedir almofadas, tapetes, colchas e até roupas. Até que um dia minha sobrinha sugeriu que eu entrasse no Facebook, criasse uma fanpage e começasse a divulgar meus trabalhos, além de dicas sobre a arte do fuxico. Hoje, consigo lucrar o dobro do que ganhava antes. O boca a boca é poderoso, mas as redes são ainda mais”, conta Maria Marques, dona de casa.

 

Blog

Aqui temos uma ferramenta interessante para ser trabalhada em conjunto com redes sociais. “Manter um bom relacionamento com seus consumidores ajuda a mantê-los fiéis e a divulgar o seu produto ou serviço”, explica Luiz Yassuda. Por isso, se tem um produto ou assunto interessante, crie um blog, certifique-se de ter um conteúdo interessante para o seu público-alvo e preocupe-se em atender bem os usuários que deixarem comentários com dúvidas, críticas e sugestões. Outra dica para quem quer investir nisso é a dedicação. “Uma empresa que publica em seu blog de 3 a 4 vezes por semana, aumenta em 5 vezes o tráfego para seu site ou produto”, complementa Rafael Brito.

 

Google Adsense

O Google Adsense é uma maneira de rentabilizar o seu site ou blog comercializando espaços. Quer um exemplo? Vamos supor que você tenha um blog com conteúdo específico para homens. Empresas que têm como público alvo homens podem tratar de comprar o espaço em uma negociação direta com o Google. “Assim, você inclui links no seu site e o Google lhe paga conforme o número de cliques que seu site ou blog gerar. Essa é uma maneira do micro e pequeno empreendedor ganhar dinheiro quando possuir um site com volume de tráfego”, explica Guilherme Nornatti, especialista em mídia.

 

Loja virtual

Outra boa alternativa para ganhar dinheiro online é a transferir o seu negócio off-line para o on-line. “Mas vale ter cuidado porque a principal palavra na construção de uma loja virtual é planejamento”, alerta Guilherme. O primeiro passo é responder às perguntas: Em qual ramo que entrarei? Qual plataforma irei utilizar? Onde irei divulgar minha empresa? Como será minha logística? Quais os meus diferenciais em relação à concorrência? Além disso, um e-commerce exige investimento. “Lojas virtuais são caras porque os sistemas de e-commerce devem ser confiáveis, sendo atualizados e testados regularmente contra fraudes, passando assim segurança para o cliente. No começo do negócio, veja se marketplaces (grandes espaços de venda) como o site Enjoei.com e outros famosos não resolvem a sua demanda”, explica Luiz.

 

Marketplace

São espaços que são disponibilizados para vendas de produtos e serviços e as transações ocorrem por meio de catálogos on-line. Os principais benefícios para o micro e pequeno empresário inserir seus produtos nesses espaços é o ganho do alcance de pessoas visualizando seus produtos, uma vez que grandes espaços (os MarketPlaces) possuem grande quantidade de acessos diários. Além disso, pessoas que apenas querem desovar peças, roupas e eletrônicos também podem ganhar um dinheiro extra. “Eu sou fã do Mercado Livre. Já vendi celular, tênis e até uma TV através dessa plataforma. Além disso, sempre compro por lá e economizo bastante”, conta Pierre Ramos, programador.

 

Consumo colaborativo

O consumo colaborativo é uma nova linha de comércio que tem surgido por facilitar a aquisição de bens sem que você tenha que pagar por ele. A ideia do emprestar, trocar ou compartilhar está mais em foco do que o comprar.

 

“Com essa nova ideia o marketing não estará conectado a produtos e à guerra por preços e sim às experiências a serem propiciadas. Seguindo essa linha, já existem diversas plataformas que intermediam essas trocas e esse mercado já movimenta um volume considerável”, explica Guilherme Nornatti.

 

Paula Aftimus

Paula Aftimus

Jornalista com especialização na State University of New York, editora de publicações e portais do Grupo Abril e especialista em mídias digitais. Passagem acadêmica pelas áreas de Serviço Social e Educação e MBA em Gerenciamento de Projetos pela FGV

Veja também

02
Brasileiro procura terceiros para negociar dívida
SPC aponta que dois em cada dez consumidores já recorreram à ajuda de terceiros para negociar divida. Gastos  [...]
consumismo-infantil-mbf
Aprenda a lidar com o consumismo infantil
Para ensinar os filhos a controlar seus desejos de consumo é preciso cuidar e monitorar as próprias atitudes  [...]
spc-mbf-comprar-um-carro
Está na hora de comprar um carro?
Veja quais perguntas fazer a si mesmo antes de considerar comprar um carro – e como agir caso decida adquiri  [...]