53035303

21 janeiro 2015

Veja como casais devem lidar com as finanças para que os dois poupem e alcancem seus objetivos

Segundo pesquisa do SPC Brasil e do Portal Meu Bolso Feliz, 17% dos casais brigam por causa de dinheiro. O conflito aumenta para 22% entre casais com contas em atraso. Uma das principais razões: a falta de consenso sobre hábitos de consumo. “Muita gente economiza para realizar grandes sonhos como se casar ou comprar um imóvel. Mas, depois disso, se esquece de manter o hábito de poupar – e de dialogar. É preciso ter objetivos em comum e conversar sobre eles, sempre”, alerta Marcela Kawauti, economista-chefe do SPC Brasil.

 

E o que fazer quando uma das partes gasta muito mais do que a outra – ou, pior, do que a renda familiar permite? “O desafio de organizar as finanças do casal quando um é mais consumista é justamente fazer com que a pessoa entenda os motivos para economizar, poupando por vontade própria e não porque se sente obrigada”, diz a psicóloga Olga Tessari.

 

Resumindo, administrar bem a renda como casal, exatamente como outros aspectos da relação, exige diálogo, paciência e respeito mútuo. Além de, claro, um bom planejamento financeiro!

 

Veja abaixo o que fazer quando o parceiro ou parceira não economiza e dicas de como casais devem lidar com as finanças para que, juntos, poupem e realizem sonhos.

 

Trabalhe com as diferenças

“Geralmente, os parceiros não pensam que o que é supérfluo para um pode não ser para o outro. Ir ao salão de beleza pode parecer uma bobagem para o marido, mas talvez seja importante para a sua mulher. E aí? Proibi-la de ir ou chamar tal despesa de “besteira” só provocará brigas”, ressalta a psicóloga. Saber entender o que é importante para o outro, no entanto, não significa ser passivo. A real situação financeira do casal deve ser sempre exposta e, com diálogo, decidir o que será prioridade (onde economizar para poder gastar no salão de beleza, por exemplo) vira uma conversa tranquila.

 

Naturalize o assunto dinheiro

Por mais que existam pessoas que conseguem poupar, outras não cultivam a mesma disciplina. Assim como um pode cozinhar melhor do que o outro, um talvez organize melhor as finanças. O assunto dinheiro deve ser tão comum quanto definir qual será o jantar do dia. Com conversas diárias, evita-se as famosas “bombas”, como por exemplo “querida, estou devendo ao banco”. Não deixe para falar sobre finanças só quando a coisa aperta. Com o assunto “naturalizado”, explicar ao parceiro que é preciso segurar os gastos neste mês não será um bicho de sete cabeças, mas algo normal. Adquira o hábito de pelo menos uma vez ao mês conversar sobre as despesas do casal.

 

“A gente não conversa sobre dinheiro. Eu simplesmente espero que ele faça a parte dele. Não gosto de cobrar. Mas quando a coisa aperta… jogo as contas na mesa, é o jeito”

Maria Emília Duarte, 54, esteticista

 

Coloque ganhos e gastos no papel

Exponha, em uma planilha ou outro tipo de controle que te deixe confortável, o quanto cada um ganha e o quanto gasta. O casal deve sentar e conversar sobre suas finanças de forma madura para que ambos tenham noção da realidade financeira que compartilham. Só assim poderão, juntos, traçar planos.

 

“Em uma época muito difícil financeiramente, minha esposa ainda queria jantar nos mesmos lugares de íamos quando tínhamos grana. Ela entendia que precisávamos economizar e poupava em várias coisas, mas achava que um ‘almocinho’ não fazia diferença. Coloquei no papel cada gasto nosso, durante um mês, e mostrei para ela. Vendo o quanto gastávamos com jantares, por exemplo, ela ficou chocada”

Fabrício Menezes, 36 anos, empresário

 

Proponha ou reforce objetivos em comum

Decida junto com o outro os objetivos financeiros do casal. Uma viagem, uma reserva para a faculdade dos filhos, reformar a casa, não importa. Combinem os detalhes a quatro mãos. “Os dois podem abrir uma poupança juntos, combinar o valor que cada um tem condições de depositar, e, dessa forma, ter controle do dinheiro de forma igual. Isso traz comprometimento e responsabilidade”, recomenda Marcela.

 

Seja firme, quando necessário

Caso os gastos estejam muito acima do que a renda familiar permite, não tenha receio de confrontar o companheiro ou companheira sobre algo que está te tirando o sono. “A melhor maneira de discutir sobre dinheiro é sendo transparente”, avisa a Olga. Exponha a realidade de modo claro e pedindo pela contribuição da outra pessoa. Depois, passe para ações práticas, como cortar cartões de crédito e outros limites de crédito disponíveis, porém desnecessários. Vale também propor que pensem, juntos, em regras que facilitem a economia desejada, como evitar compras parceladas, por exemplo.

 

6 Dicas para casais evitarem brigas por dinheiro:

1. Crie o hábito de conversar frequentemente sobre as finanças. “Saber qual é a renda da casa, quem tem dívidas em atraso e principalmente quais são os sonhos e os objetivos de cada um é fundamental para o sucesso financeiro, inclusive o sucesso do relacionamento”, aconselha o educador financeiro do Portal Meu Bolso Feliz, José Vignoli;

 

2. Separe do orçamento uma quantia para que cada um possa fazer seus gastos individuais, mensalmente, sem a interferência do outro – mesmo que só um tenha renda fixa. Isso ajuda até na manutenção da autoestima, uma vez que cada um vai se sentir responsável em fazer bom uso deste dinheiro;

 

3. Planejem juntos o orçamento familiar. O objetivo é encontrar aquele ponto de equilíbrio financeiro que tornará a vida da família mais tranquila;

 

4. Estabeleça metas para que ambos cumpram, mesmo que a contribuição de um seja menor do que a do outro. Afinal, em uma relação equilibrada não é a diferença de renda que fará um ser mais ou menos importante do que o outro no relacionamento;

 

5. Durante momentos de adversidade, procure entender o lado do outro e saiba ceder se necessário;

 

6. Pensem longe, porém dentro de algo que seja realizável dentro das expectativas da vida real. Invistam em ações que devem executar hoje para ter uma aposentadoria tranquila amanhã, sem deixar de curtir o presente, claro. “Casais que não planejam pensando no futuro ou exagerando nos sonhos podem até saber o que querem, mas não têm estratégia e falham — muitas vezes sem perceber por que — na hora de alcançar seus objetivos”, alerta Vignoli.

 

LEIA MAIS:

7 Maneiras de driblar as crises financeiras que acabam com os casamentos

Dicas para evitar problemas com dinheiro em casa

7 erros que atrapalham a realização do seu sonho 

 

 

Paula Aftimus

Paula Aftimus

Jornalista com especialização na State University of New York, editora de publicações e portais do Grupo Abril e especialista em mídias digitais. Passagem acadêmica pelas áreas de Serviço Social e Educação e MBA em Gerenciamento de Projetos pela FGV

Veja também

meu-bolso-feliz-foto
7 estratégias para divulgar o seu trabalho na internet
A internet, além de fazer parte do nosso dia a dia, também pode ser usada para divulgar seu trabalho para vo  [...]
investimento-mbf
Como investir quando a renda é pequena?
Sempre vale a pena se esforçar para guardar dinheiro, mesmo que seja pouco. Como? Organização é a palavra-  [...]
ideias-presentes-baratos-natal
25 ideias de presentes de Natal por menos de R$80
Veja nossas sugestões de presentes de Natal mais baratos e dicas para economizar ao presentear as pessoas que  [...]