Minhas dívidas

Por que estou no vermelho?

Fiquei no vermelho! Como pagar dívidas?

Todo mundo sabe o que significa isso, mas poucos param para pensar, de fato, nas causas desse descontrole.

Você está no vermelho quando as contas para pagar estão mais altas do que o dinheiro que você tem disponível. O lado ruim da situação vem do descontrole de suas contas. Mas essa situação pode ser passageira, se você souber sair dela.

 

Gastos supérfluos

Como Pagar Dívidas e Economizar

A primeira coisa a se pensar é: será que eu gastei “um dinheiro que não podia” com coisas que não são tão essenciais ou importantes para minha vida? Será que eu abusei dos chamados “gastos supérfluos”? Até que ponto eles são necessários para a minha sobrevivência?

Temos de pensar sempre sobre isso. Fique atento e identifique o que coloca em risco sua saúde financeira. Podem ser as saídas de fim de semana a bares e restaurantes em excesso, a compra exagerada de roupas e sapatos, salão de beleza, cosméticos, prestações maiores que consegue pagar ou até mesmo as compras no supermercado.

É importante que você saiba qual é o verdadeiro valor que as coisas que deseja comprar tem para sua vida. Não gaste tudo o que ganha em pequenas coisas que trarão um prazer imediato mas que te deixarão endividado com parcelamentos, empréstimos, cheques especiais e faturas de cartão.

Reflita sobre as verdadeiras razões que te fazem consumir e evite atitudes de compras impulsivas que te coloquem no vermelho. Elas queimam seus recursos que poderiam ser investidos em coisas realmente de valor como a prestação de uma casa, um carro ou a escola de seu filho.

DICAS

1. Coloque no papel seus ganhos e despesas. Este é o ponto de partida para você conhecer sua situação financeira real. Com base nisso, é possível equilibrar suas contas e entrar no azul.

2. Seja moderado com o gasto supérfluo, escolha gastar com aquilo que é importante para você, e escolha preços melhores ou produtos similares. Pesquise! Mas, se possível, abra mão dos gastos supérfluos até organizar suas contas.

3. Evite usar cheque-especial e cartão de crédito. Procure pagar suas contas à vista com o dinheiro que tem. Controle os apelos e impulsos de consumo.

Receitas, despesas e orçamento

O que é o orçamento pessoal

Todo mundo tem noção das suas “contas”. Sabe o quanto “entra” e o quanto “sai”.

O orçamento é isso: uma conta que a gente faz com tudo que entra (salário, “bicos”, pensão, aposentadoria, mesada, rendimento de aluguel etc.) e tudo que sai (todos os gastos e despesas pessoais e da casa).

Entenda como o seu dinheiro circula.

Clique na ilustração abaixo e acompanhe.

O que é orçamento 

É importante registrar todas as prestações contraídas a serem pagas nos meses seguintes, como roupas, imóvel, carro etc. É a hora de repensar e avaliar a direção dos seus gastos, negociando, se for o caso, com todos os membros da família.

Não confie em contas que estão “na cabeça”, pois elas sempre nos enganam. Você acaba esquecendo-se de alguma despesa importante, como um cheque pré-datado que você esqueceu que deu, ou um boleto que chegou pelos Correios e você não se lembra onde colocou. Tudo isso pode descontrolar seu orçamento.

Você precisa evitar novos gastos. Mas, se não der para evitar, tenha certeza de que eles vão “caber” no seu orçamento – seja à vista ou a prazo.

Fazer dívidas novas ou não planejadas é a principal razão do sufoco financeiro. Muita gente fica inadimplente por isto, mas você pode se organizar: eliminar as dívidas, gastar menos do que ganha e conquistar seu equilíbrio financeiro.

Orçamento familiar

Fazer o controle do orçamento familiar, ao invés de somente seu controle pessoal, tem uma vantagem: ao juntar o ganho de todos da casa, fica mais fácil manter o controle sobre os gastos da família e fazer o dinheiro render mais.

Entenda como funciona o orçamento familiar, renda e gastos da famíliaOrçamento familiar

Todo mundo sabe, por exemplo, que renda familiar é a soma do dinheiro que todos da família recebem. Aí, temos de somar os salários líquidos dos pais e dos filhos, o dinheiro dos “bicos” que cada um faz, os rendimentos líquidos de pensão e aposentadoria e tudo mais que “vira dinheiro” dentro de casa. Podemos chamar isso também de receitas.

Do outro lado dessa conta, estão dos gastos da família. Aí, entra tudo que todo mundo gasta para manutenção da casa e para as despesas pessoais. Estas são, portanto, as despesas. Enquanto o dinheiro que entra (receita) for maior do que o que sai (despesa) está tudo bem. Essa conta de entrada e saída pode ser chamada de orçamento familiar.

Acontece que pouca gente vive assim. Afinal, todo mundo ganha menos do que gostaria e quer gastar mais do que deveria. Quando isso começa a acontecer, vai ter um descontrole no orçamento. E, como a gente não pode escolher o quanto ganha, o jeito é controlar os gastos.

Os tipos de despesas

Na hora que o dinheiro aperta, quem nunca pensou assim: “vou ter de cortar aqui e ali. Está na hora de dar meus pulos”.  Mesmo sem pensar muito, a gente começa a cortar pelo item menos importante. Ou, em outras palavras, pelo mais supérfluo, ou seja, tudo que pode ficar para depois.

Tudo isso tem um nome no orçamento. Por isso, podemos classificar os gastos como despesas fixas (que não podem ser evitadas ou deixar de existir) e despesas variáveis (que podem ser reduzidas ou eliminadas).

Clique na pirâmide e veja alguns exemplos.

Tipos de despesas

Podemos utilizar, então, três tipos de despesa para compor nosso orçamento:

– Despesas fixas;
– Despesas variáveis que podem ser reduzidas;
– Despesas variáveis que podem ser cortadas (ainda que por um tempo).

Como base em tudo isso, podemos, então, utilizar uma ferramenta que vai nos ajudar a ter uma noção geral de todas as contas. Ao mesmo tempo, ela vai facilitar o orçamento, pra gente não perder o controle das contas ao longo do mês.

Nela, vamos colocar então as entradas e as saídas de dinheiro. Assim, fica mais fácil saber se tem dinheiro sobrando no fim do mês ou não.

Para facilitar a sua tarefa, na ferramenta, vamos utilizar três cores para identificar e classificar os tipos de despesas.

1. Verde –  Despesas fixas.
2. Amarela – Despesas variáveis que podem ser reduzidas.
3. Vermelha – Despesas variáveis que podem ser cortadas.

Tire suas dúvidas sobre este assunto

Converse com o especialista Converse com o especialista

Fatal error: Call to a member function show() on a non-object in /home/meubolso/public_html/wp-content/themes/bolsofeliz/page-internas-estou-no-sufoco.php on line 117