Bolsa de valores e ações

O que é?

Entenda o que é e para que serve a bolsa de valores

 

como-funcionam-as-acoes

Como demonstrado na ilustração acima, as ações são títulos que representam o capital da empresa. Assim, ao comprar ações, a pessoa passa a ter participação na empresa e se torna, então, sócio minoritário dela. Ela pode participar dos lucros em dois momentos: recebendo os chamados dividendos pagos pela direção da empresa (calculados com base no lucro da empresa) ou através da valorização do preço da ação (em função de um novo contrato fechado por ela, por exemplo).

Que risco eu corro?

Quem compra ações pode ganhar de duas formas: com os lucros que a empresa distribui aos acionistas (chamados dividendos) ou com a venda das ações a um preço maior que o preço de compra. As duas formas de ganhar apresentam riscos.

Em primeiro lugar, não há garantia de que a empresa tenha lucro. Mesmo se tiver lucro, esse lucro pode ser tão pequeno que não valha a pena o investimento.

Em segundo lugar, não há garantia que o preço da ação aumente após a sua compra. Por exemplo: no dia em que uma empresa de exploração de petróleo descobre uma nova reserva, suas ações se valorizam. Se essa mesma empresa provoca um grande acidente ambiental, como vazamento de óleo no mar, sua ação cai imediatamente, pois isso representa prejuízo financeiro e de imagem para a empresa.

Por isso, o mercado de ações é considerado de risco e está sujeito a muitas oscilações.

Quanto pago de imposto?

Para negociações mensais acima de R$ 20.000,00, a alíquota do Imposto de Renda sobre o ganho de capital (diferença entre o valor de venda e o valor de compra) é de 15%.

Os demais investidores (ou seja, aqueles que venderem menos que R$ 20 mil no mês) estão isentos de IR.

Como faço para aplicar?

Para aplicar em ações, você deve procurar uma Corretora de Valores ligada a seu banco ou independente. Somente essas empresas estão autorizadas a negociar nas bolsas de valores, comprando ou vendendo ações.

Você terá de pagar taxas de corretagem pelas compras e vendas e, ainda, uma taxa pela “guarda” de suas ações (chamada de custódia).

Como esse é um mercado muito arriscado e que exige muito conhecimento, ele não é recomendado para aqueles que não querem correr risco e não podem perder parte (algumas vezes expressiva) dos recursos aplicados.

É também um investimento de longo prazo, pois em curto prazo (poucas semanas ou meses) o valor das ações pode variar muito. Se num momento de “baixa” você quiser (ou precisar) transformar as ações em dinheiro, você corre o risco de ter perdas.

Uma alternativa para iniciar neste mercado é ser quotista de um Fundo de Investimento em Ações, administrado por uma corretora ou um banco. Ao aplicar dinheiro neste tipo de fundo, você está adquirindo ações selecionadas pelo gestor do fundo, que tende a ser um especialista nesse mercado.

Esta é, portanto, uma forma cômoda e mais segura de se investir, pois o investidor não faz, diretamente, nenhuma negociação. Você pode começar com aplicações de valor bem baixo, como R$ 200,00, por exemplo.

Entretanto, no caso de optar por um fundo de investimento, você terá de pagar uma taxa de administração que, para valores pequenos, variam de 1,5% a 3% ao ano. Essa cobrança acaba reduzindo os rendimentos para quem aplica pouco dinheiro nesses fundos.

DICA

É possível investir em fundos de ações no banco no qual você tem conta. Pesquise e compare a rentabilidade e as taxas dos fundos. É sempre prudente diversificar suas aplicações e colocar apenas uma pequena parte de suas economias em ações ou em fundos de ações. Os mais cautelosos devem investir 10% ou menos de suas reservas em ações.

Outros tipos de investimentos:

Tire suas dúvidas sobre este assunto

Converse com o especialista Converse com o especialista

Fatal error: Call to a member function show() on a non-object in /home/meubolso/public_html/wp-content/themes/bolsofeliz/page-internas-tipos-de-investimentos.php on line 121