Educação

Educação

Investir em educação, indiretamente, é garantir a viabilização de muitos dos seus sonhos. Um curso profissionalizante representa uma perspectiva de melhor remuneração em um futuro próximo. O mesmo acontece com cursos extracurriculares, como língua estrangeira, cursos de informática, entre outros.

Com um diploma de curso superior, a valorização profissional é, evidentemente, muito maior. Não por outro motivo, o país tem hoje cerca de 5 milhões de pessoas fazendo curso superior. Há 20 anos, este número não superava 1 milhão.

Quanto custa educar meu filho?

Um dos desafios dos pais é financiar a educação dos filhos. Para isso, é preciso colocar os custos com educação no seu orçamento doméstico mensal. Lembre-se de que, do berçário ou da creche ao diploma universitário (passando pela Educação Infantil, Ensinos Fundamental e Médio) são 22 anos de estudo.

Desta forma, é preciso prever todos os gastos com educação, pensando no presente e no futuro. Siga as seguintes orientações:

Para o futuro: Faça uma estimativa realista de quanto pretende gastar com a educação e em quanto tempo precisará deste dinheiro. Caso falte muito tempo ainda (mais de 5 anos.), comece a se planejar agora, por exemplo com Tesouro Direto, e assim terá mais tranquilidade. Se faltar pouco tempo, economize o máximo que puder, utilizando as opções disponíveis: CDB, LCI, Poupança

Para o presente: Além da mensalidade escolar, é preciso prever diversos gastos relacionados à educação, como transporte, material escolar, livros, lanche etc. Simule agora o custo da educação de um filho.

DICAS

1. Faça uma planilha para cada filho, pois os custos variam com o segmento escolar em que eles se encontram. Em média, uma família gasta 20% da renda mensal com a educação dos filhos. Faça suas contas.

2. Faça uma boa pesquisa de preço de mensalidade nas escolas de sua cidade antes de escolher onde matricular seu filho. Vá pessoalmente e conheça os diretores e as dependências da escola. Tudo isso é importante para sua decisão.

Sigas as orientações abaixo, de acordo com o segmento educacional em que seus filhos se encontram:

Educação Infantil – Mesmo com seus filhos ainda muito pequenos, você pode manter uma poupança permanente com o objetivo de financiar a educação deles. Lembre-se de que o fato de a escola ser próxima à sua casa ajudará na economia de tempo e transporte. É preciso também prever o custo com material escolar, transporte e lanche para o dia a dia. Para fazer os cálculos, use a planilha acima.

Ensino Fundamental – Muitas escolas, incluindo as instituições públicas, já oferecem a opção de horário integral. Os alunos ficam o dia todo na escola e alternam o horário de aula com a prática de esportes e outras atividades extras, além de acompanhamento da lição de casa. Fique atento ao que é oferecido em sua cidade, procure informações e conheça todas as opções. Se o seu filho estuda em escola particular, você deve considerar, além do valor da mensalidade, outras despesas, como transporte escolar, materiais escolares e livros extras. São gastos que se tornam mais elevados à medida que o aluno vai progredindo nas séries escolares. Para fazer os cálculos, use a planilha acima.

Ensino Médio – Nessa idade, os filhos já podem estudar e fazer um estágio, ou participar de programas como o Menor Aprendiz. Esse tipo de ocupação gera uma renda extra que ajuda a pagar as despesas da escola. Se a opção da família é investir numa escola particular, os pais devem saber que terão de arcar com algumas despesas além da mensalidade, como transporte, material escolar e livros extras. Para fazer os cálculos, use a planilha acima.

Ensino Superior – Os pais devem estimular os filhos a cursarem faculdades públicas, ainda que tenham que fazer curso pré-vestibular para isso. A economia é muito grande, especialmente para quem pretende fazer cursos caros, como o de Medicina. Para os que cursam faculdade particular, há no Brasil uma linha de crédito especial para financiamento do ensino superior – o Fundo de Financiamento ao Estudante de Ensino superior (FIES). Ele opera com uma taxa de juros significativamente baixa no contexto brasileiro: menos de 4% ao ano.

DICAS

O primeiro passo para obter o Fies é entrar no site do Ministério da Educação (link abaixo) e clicar em “Como se inscrever” para saber as etapas do processo, que é muito simples.

Mas fique atento: o prazo para validar os documentos e comparecer a um banco para formalizar o empréstimo começa a contar na data em que você faz a inscrição no SisFIES. Não perca tempo!

Saiba mais em: www.sisfiesportal.mec.gov.br

Vale a pena aproveitar esse incentivo governamental. Se for o caso, procure usar uma poupança durante um tempo, até sair o financiamento do FIES, pois ele é muito vantajoso, e o pagamento é feito somente depois da conclusão do curso superior. Muitas faculdades dão descontos e chegam a cobrar a partir de R$ 500,00. Mas o valor médio não fica abaixo de R$ 1.000,00. Mas os valores variam muito de uma faculdade para outra, dependo do curso e da região do país. A melhor forma de se ter uma ideia de valor é fazendo uma pesquisa de preço em sua cidade ou região.

Não de esqueça de que, além da mensalidade, você terá custos com transporte, lanche, material escolar, livros, reprodução de textos etc. Para fazer os cálculos, use a planilha acima.

Outros em realizando sonhos:

Tire suas dúvidas sobre este assunto

Converse com o especialista Converse com o especialista

Fatal error: Call to a member function show() on a non-object in /home/meubolso/public_html/wp-content/themes/bolsofeliz/page-internas-realizando-sonhos-educacao.php on line 109