Em casa

Economia em casa

Alimentos

– Aprenda a reaproveitar os alimentos. Por exemplo: aquela salada que não foi consumida totalmente pode se transformar em uma sopa saborosa e nutritiva. Além de você economizar e evitar o desperdício.

Economize água

– Se você mora em casa, utilize a água que sobrou da lavagem de roupa para limpar o quintal.

– Verifique se há torneiras com vazamento. Isso pode parecer bobagem, mas a economia na conta de água, no fim do mês, é enorme.

– Reduza o tempo do banho.

– Nunca deixe a torneira ligada enquanto estiver escovando os dentes e lavando a louça.

– Não varra a calçada de casa ou a varanda com a mangueira. Utilize uma vassoura para varrer e, se necessário, lave com água.

Poupe energia

– Os aparelhos eletrônicos que não estiverem sendo utilizados devem ficar desligados.

– Use lâmpadas fluorescentes, que consomem menos energia.

– Sempre apague a luz quando sair de algum lugar da casa.

– Cuidado com a geladeira: não coloque alimentos ainda quentes, pois o consumo de energia aumenta. Ela também não deve ficar perto de lugares quentes, como fogão, ou perto de janelas em que bate o sol.

– O ferro de passar roupa gasta muita energia. Faça a programação e passe a roupa toda de uma só vez.

– O chuveiro elétrico acarreta um dos maiores consumos de energia numa residência. Geralmente, os modelos têm duas posições de temperatura – inverno (de 4.500 a 6.000 watts) e verão (2.100 a 3.500 watts).

Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o consumo por hora de uso é de:

4,50 a 6,0 kWh – na posição inverno (quente)
2,10 a 3,50 kWh – na posição verão (morno)

Por isso, é importante diminuir ao máximo o tempo do seu banho. E procure não utilizar o chuveiro na posição inverno (mais quente). Faça isso apenas nos dias mais frios.

Despesas frequentes

– Evite parcelar as despesas como as compras de supermercado ou sacolão. Se você parcela a despesa com o supermercado em um mês, no mês seguinte você terá essa despesa novamente, e eles podem virar uma grande bola de neve. Deixe esse recurso para gastos eventuais, como a troca de um móvel ou a compra de um novo eletrodoméstico. Despesas frequentes  já fazem parte do orçamento doméstico, portanto, não devem ser parceladas.

Supermercado

– Faça sempre uma lista de compras – que pode ser semanal, quinzenal ou mensal. Estabeleça e defina os itens essenciais para a sua casa e sua família, os chamados itens básicos, que não podem faltar. A seguir, inclua alguns itens não tão necessários – como biscoitos extras para as crianças, alguns iogurtes, sucos etc.

– Se você costuma fazer compras com os filhos pequenos, é importante estabelecer o que poderá ser levado (por exemplo, doces ou biscoitos), antes de sair de casa.

– Estabeleça um cardápio de almoço, pois isso ajuda na elaboração da lista de compras e a evitar desperdícios.

– Resista às promoções-relâmpago, pois elas induzem ao consumo desnecessário e provoca estragos em seu orçamento. Reflita se aquele item em oferta é mesmo necessário.

– Compra em atacado: pode ser uma boa pedida para materiais escolares e produtos de limpeza . Mas tenha cuidado com os excessos.

– Evite a famosa compra “picada”, quando você vai ao supermercado todos os dias, para comprar poucos produtos. Neste tipo de compra, é mais fácil perder o controle dos gastos. Outra dica é fazer as compras sem muita correria, pois você pode acabar comprando sem pesquisar os preços e a qualidade do produto, ou mesmo por impulso.

– Preste sempre atenção aos produtos que ficam dispostos nas prateleiras de baixo. Quase sempre, os supermercados usam a estratégia de colocar em cima os produtos mais caros.

– Fique atento às “promoções do dia” – as promoções podem ser muito boas.

– Verifique também os produtos de marca própria dos supermercados . Eles costumam ser mais baratos que os outros produtos similares. Compare sempre o preço.

– Alimente-se antes de ir às compras. Quando vamos ao supermercado com fome, a tendência é acabar comprando tudo o que achamos pela frente e sem olhar os preços com cuidado.

Férias e fins de semana

– Muito cuidado com o cartão de crédito. Ele é bastante útil durante a viagem, mas, se você extrapolar, o benefício se transforma em prejuízo. Prefira pagar os gastos à vista.

– Ao alugar casas ou apartamentos, busque sempre referências. Nunca confie apenas naquilo que os sites mostram. A fonte de informação pode ser a internet mesmo, que traz a opinião de muitos viajantes.

– Na alta temporada, os preços costumam ficar bem altos. Portanto, se você não pode viajar em outra época do ano, pesquisar preços de restaurantes, passeios e programas será essencial para que você não perca o controle do seu dinheiro.

– Antes de viajar, planeje quanto você poderá gastar por dia – ao fazer esse cálculo, inclua todas as despesas, como alimentação, passeios etc.

– Cuidado com as “comprinhas” extras durante a viagem. Lembrancinhas para os parentes e os artigos de artesanato regional podem levar você a gastar além da conta.

– Nas saídas de fim de semana, a pesquisa de preços também é importante. Fique atento a promoções de bares e restaurantes e também aos descontos em cinemas e teatros. Procure formas alternativas e bem baratas de lazer, como os parques ou ainda as reuniões com grupos de amigos em casa. Veja algumas opções me www.catracalivre.com.br

Planos e Serviços

– Fique atento aos custos dos serviços como TV por assinatura, celular, internet e telefone fixo. É importante você otimizar esses gastos, buscando planos e condições mais favoráveis. Se, na sua família, todos já usam celular, um plano integrado para família pode ser mais vantajoso do que planos individuais.

– É importante observar também se todos os serviços estão sendo realmente utilizados. Se você contrata um plano que inclui celular, internet banda larga e telefone fixo, mas as pessoas de sua família ficam pouco em casa, reveja as opções. Avalie se vale a pena suspender a internet ou o número de canais.

– Fique atento com as “promoções” que as operadoras oferecem, como mais canais (no caso da TV a cabo) ou um pacote com mais minutos (no caso de telefonia). Muitas vezes ssas ofertas, acabam trazendo somente um custo mais elevado, sem benefícios reais para você ou sua família. Pense c se você realmente precisa de mais canais na TV ou de mais minutos para falar ao celular.

– Veja um guia do Instituto de Defesa do Consumidor (Idec) que traz diversas informações bastante úteis para os consumidores sobre direitos, serviços oferecidos pelas operadoras e muito mais: http://www.idec.org.br/uploads/publicacoes/publicacoes/folheto-banda-larga.pdf

Transporte

O gasto com transporte é uma despesa que deve ser sempre considerada no orçamento doméstico, mesmo que você receba vale-transporte ou auxílio-transporte da empresa em que trabalha. Essa ajuda cobre a despesa com deslocamento para o trabalho, mas há vários outros deslocamentos feitos pela família – levar os filhos para a escola, por exemplo.

No trabalho, você pode combinar a carona ou até mesmo um rodízio com os colegas que moram perto de você. E isso vale também para levar os filhos à escola – você pode combinar com outros pais uma espécie de rodízio.

Você e sua família dão exemplo quando o assunto é economia? Conte para nós sua experiência. Também queremos ouvir suas críticas e sugestões.

Outros em economia no seu dia a dia:

Tire suas dúvidas sobre este assunto

Converse com o especialista Converse com o especialista

Fatal error: Call to a member function show() on a non-object in /home/meubolso/public_html/wp-content/themes/bolsofeliz/page-economia-no-dia-a-dia.php on line 114