Representa a diferença entre o que uma instituição financeira cobra nos seus empréstimos e o que ela paga aos depositantes (neste caso, sendo referência a taxa SELIC). O Spread Bancário visa cobrir os custos operacionais, que são necessários para o funcionamento dos bancos (salários dos bancários, luz, água, aluguel das agências, despesas com a aquisição e manutenção de máquinas – computadores, caixas eletrônicos, etc.); os impostos (IOF, PIS, COFINS, etc.) que incidem sobre a atividade bancária; a inadimplência, que decorre dos empréstimos concedidos que não são pagos pelos clientes (calotes são, dessa forma, rateados entre os bons pagadores); o lucro dos bancos, pois toda a atividade envolve riscos e trabalho por parte dos proprietários, e por isso deve ser remunerada.