Tem, basicamente, dois significados:

a)    Renda mensal invariável que uma pessoa recebe regularmente a cada período fixo de tempo (renda mensal, por exemplo)

b)    Aplicações (empréstimos feitos ao emissor do papel) que possuem remuneração paga com condições pré-definidas. O investimento feito em renda fixa pode apresentar uma rentabilidade variável de acordo com a cotação do título no mercado financeiro e do indexador (um índice qualquer) previamente acordado entre as partes. Exemplos típicos de aplicações em renda fixa são a caderneta de poupança, os certificados de depósito Bancário (CDB), títulos públicos, fundos de renda fixa.