Refere-se à velocidade e à facilidade com a qual um ativo pode ser convertido em dinheiro. Significa, também, que o dono do ativo terá facilidade em vendê-lo, por um preço correto, em caso de necessidade. Assim, um ativo é considerado de boa liquidez se ele puder, rapidamente, ser convertido em caixa sem que o seu dono sofra uma perda significativa de valor.