É uma modalidade de aplicação de recursos constituída pela união de pessoas que se propõem a formar uma poupança comum com o objetivo de adquirir bens móveis, imóveis e serviços, mediante autofinanciamento. O bem ou serviço poderá ser obtido por meio de “sorteio” mensal ou mediante o oferecimento de “lance”. O consorciado contemplado poderá utilizar o crédito para adquirir o bem ou serviço ou para convertê-lo em dinheiro, desde que faça a quitação integral do seu débito com o grupo.