A

Ações

São títulos nominativos (aqueles que estão em nome de uma pessoa), negociáveis e representam uma fração do capital de uma empresa. Assim, ao comprar ações, a pessoa passa a ter “partes” de uma empresa e se torna sócio minoritário. Pode participar dos lucros, que se refletem nos dividendos pagos e na valorização do preço da ação, mas passa a correr os riscos de prejuízos como qualquer empresário.

▲Topo

Administradora (consórcio)

É a empresa responsável por formar os grupos de consorciados, organizar e administrar os planos. Sempre verifique a idoneidade da administradora através do site do Banco Central.

▲Topo

Agente de custódia

Trata-se de bancos comerciais, múltiplos e de investimento, bem como sociedades corretoras e distribuidoras de valores, devidamente autorizadas pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para guardar ações negociadas em Bolsa. A taxa cobrada por esses agentes é chamada taxa de custódia.

▲Topo

Alienação fiduciária

Refere-se a um tipo de direito de propriedade. É a transferência da posse de um bem móvel ou imóvel do devedor ao credor para garantir o cumprimento de uma obrigação. O comprador adquire um bem a crédito. O credor toma o próprio bem em garantia. É uma modalidade muito utilizada na aquisição de veículos ou de imóveis. A alienação fica registrada no documento de posse do automóvel e, no caso da compra de um imóvel, apenas após a liquidação da dívida haverá a transmissão atestada pela escritura. Assim, na alienação fiduciária, o comprador, antes da quitação da dívida, pode apenas usufruir do bem, mas não pode negociá-lo.

▲Topo

Antecipação de Restituição de Imposto de Renda

Crédito que o correntista de uma instituição financeira consegue junto a ela (até o limite de 80% do valor que ele tem direito de restituição do IR) para pagar de uma só vez, no momento em que o seu dinheiro for liberado pela Receita Federal.

▲Topo

Antecipação do 13º Salário

Crédito ofertado pelas instituições financeiras que permite ao trabalhador com carteira assinada antecipar até o valor total do seu 13º salário. Esse empréstimo será integralmente quitado no momento em que o 13º salário for liberado pela empresa em que trabalha, indo diretamente para a instituição financeira que lhe concedeu o empréstimo.

▲Topo

Aplicação pós-fixada

O investidor só vai saber da rentabilidade conseguida quando vencer o prazo da aplicação, pois ela depende da correção da aplicação, que é negociada entre um banco e seu cliente. Os índices de correção mais comuns em aplicações financeiras pós-fixadas são o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), IGPM (Índice Geral de Preços de Mercado), CDI (Certificado de Depósito Interbancário), SELIC (taxa básica de juros da economia). Assim, um CDB que é ofertado com uma rentabilidade de 80% do CD, representa uma aplicação financeira pós-fixada, já que a taxa do CDI não é conhecida no momento da aplicação. Já no caso de títulos corrigidos por índice inflacionário, por exemplo, IPCA, a aplicação segue um padrão de ter uma taxa de juros (digamos, 5% ao ano acrescido da variação do IPCA).

▲Topo

Aplicação pré-fixada

Aplicação na qual o investidor toma conhecimento da rentabilidade no momento da aplicação. Um Certificado de Depósito Bancário que renda, por exemplo, 8,5% ao ano, constitui um exemplo de uma aplicação pré-fixada.

▲Topo

Aplicações financeiras

São tipos de investimentos (os principais tipos disponíveis para uma pessoa comum estão explicados neste glossário) que uma pessoa pode realizar quando tem sua situação financeira equilibrada. Em geral, as aplicações financeiras protegem o seu dinheiro contra a perda provocada pela inflação e proporcionam ainda uma rentabilidade real (que é a cifra que supera a inflação). Como exemplo, admitindo-se uma taxa de inflação de 6% ao ano e uma aplicação que rende 8,5% ao ano, pode-se dizer que, aproximadamente, o aplicador teve um ganho real de 2,5% ao ano, que é o resultado de 8,5% – 6%%.

▲Topo

Aposentadoria

Refere-se a um benefício a que todo trabalhador brasileiro tem direito após cumprir uma série de exigências estabelecidas em lei. Trata-se de um afastamento remunerado que o trabalhador faz de suas atividades. Fundamentalmente,  para aposentar-se, o trabalhador deve ter contribuído para o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) por prazos que são estabelecidos pelas regras da Previdência Social e ter atingido as idades mínimas requeridas.

▲Topo

Assembleia ordinária (consórcio)

É a reunião organizada pela administradora do consórcio na qual são realizados os sorteios e recebidos os lances para o recebimento da carta de crédito. É neste momento que a administradora presta contas aos cotistas.

▲Topo

B

Bolsa de Mercadoria e Futuro (BM&F)

Representa uma fusão da Bolsa de Mercadoria e da Bolsa Mercantil de Futuros de São Paulo e é formada por empresas corretoras de valores e bancos. Não negocia ativos mercantis como ações, sendo o seu objeto a negociação de ativos atrelados aos preços de mercadorias (principalmente commodities, como soja, boi, etc.) e  os ativos financeiros (juros, câmbio, etc.), a vista ou para pagamento futuro. Sua principal característica é trabalhar com operações a termo, isto é, operações de compra e venda com promessa de entrega futura.

▲Topo

Bolsa de Valores

É um mercado organizado para a negociação de ações e outros instrumentos financeiros. Ela é constituída por diversas sociedades corretoras que possuem títulos que, em conjunto, representam o seu patrimônio. Em um país, podem funcionar várias bolsas de valores, dependo do volume negociado de ações. No Brasil, houve uma fusão das bolsas regionais, e hoje se encontra em operação apenas a BOVESPA (Bolsa de Valores de São Paulo). O compromisso da Bolsa é repassar aos investidores informações relevantes a respeito das empresas, assegurando, ao máximo, a transparência das operações. A Comissão de Valores mobiliários (CVM) é, no Brasil, a responsável pela fiscalização das operações que ocorrem na Bolsa.

▲Topo

Bullying

É um termo em inglês utilizado para descrever atos de violência (física, verbal ou psicológica) repetitivos e intencionais de um aluno ou grupo de alunos contra outro colega. Não se trata de simples atribuição de apelidos pejorativos ou “brincadeiras”. É um ato violento e agressivo, que ocorre de maneira repetitiva e envolve um desequilíbrio de poder entre o agressor e a pessoa agredida, ou seja, a vítima não tem condições de se defender. Como ocorrência originalmente do ambiente escolar, o bullying já atinge outras instâncias, como o ambiente de trabalho.

▲Topo

C

Cadastro de Emitentes de Cheques sem fundos (CCF) do Banco Central

Ocorre quando o cheque do correntista é devolvido duas vezes por falta de fundos. A primeira coisa a fazer é procurar a agência do banco que apresentou a ocorrência e solicitar informações sobre o número, o valor e a data do cheque. Depois, procurar a pessoa/empresa para quem foi emitido o cheque, regularizar o débito e recuperar o cheque. De posse dele, vá ao seu banco e prepare uma carta, junte o original recuperado e recolha as taxas de devolução do cheque. Entregue tudo ao banco, com protocolo. Peça ainda a comunicação da regularização ao Banco do Brasil, encarregado de atualizar o arquivo de CCF.

▲Topo

Carta de crédito

É o documento recebido do consórcio que representa o valor que poderá ser usado para a compra ou como parte do pagamento do imóvel ou automóvel.

▲Topo

Cartão de crédito

Também chamado “dinheiro de plástico”. Quando a pessoa quita apenas uma parte da fatura e utiliza o chamado “crédito rotativo”, ela está pagando uma taxa de juros que, no Brasil, em média, é superior a 300% ao ano (12,5% ao mês).

▲Topo

Cartões de loja

São cartões próprios fornecidos pelas próprias lojas, com menores exigências para a abertura de crédito. O consumidor passa a poder contar com o recurso no exato momento em que efetua a compra, no próprio estabelecimento comercial. Nesse tipo de crédito, o consumidor adquire um bem por meio de carnê, boleto bancário ou cheque pré-datado. As taxas de juros são estabelecidas pelas instituições financeiras que operam em conjunto com os estabelecimentos comerciais.

▲Topo

CDB

Certificado de Depósito Bancário. É um título nominativo emitido pelos bancos e vendido ao público como forma de captação de recursos. O investidor faz um empréstimo à instituição financeira que emite o título e recebe juros pela operação. Os CDBs podem ser de dois tipos. Os pré-fixados permitem ao investidor saber quanto de juros irá receber no próprio momento da compra. Nos CDBs pós-fixados, o investidor só fica sabendo quanto irá receber de juros após a data de vencimento do título, uma vez que a taxa a ser aplicada varia de acordo com um índice previamente acordado.

▲Topo

CDC

Tipo de crédito que permite ao consumidor obter o recurso no momento exato em que está adquirindo um bem (eletrodoméstico, móvel, automóvel, etc.) ou um serviço (cursos diversos, pacote de viagens, etc.). O consumidor deve sempre verificar qual é o “custo efetivo total” do seu financiamento, que inclui imposto sobre operações financeiras (IOF) e a taxa de abertura de crédito (TAC).

▲Topo

CDI

Certificado de Depósito Interfinanceiro (CDI). É um título que as instituições financeiras emitem, sendo negociado entre elas. A taxa média dessa aplicação é divulgada diariamente, sendo um referencial para o custo do dinheiro (juros). Essa taxa é muito utilizada como referência para a rentabilidade de fundos de investimento e outras aplicações.

▲Topo

CET

Custo Efetivo Total, criado pelo Conselho Monetário Nacional (CMN –  Resolução 3.517, de 06/12/2007), permite  ao consumidor conhecer todos os custos de um empréstimo ou financiamento antes de fechar o contrato. O CET é constituído por todos os custos que o consumidor terá em decorrência de uma operação de crédito.

▲Topo

Cheque Especial

Constitui um crédito pré-aprovado e vinculado à sua conta corrente. Esse crédito extra fica disponibilizado e pode ser usado, automaticamente, pelo cliente de um banco quando o valor de cheques emitidos supera o saldo efetivo de sua conta corrente. A taxa de juros cobrada é bastante alta, superando, em média, 150% ao ano (8% ao mês).

▲Topo

Compra por Impulso

Trata-se de um desejo intenso, muito frequentemente incontrolável, de consumir. Nesse tipo de consumo, a emoção do momento predomina totalmente sobre a razão, levando o consumidor não apenas a comprar algo de que não necessita de fato como até mesmo a se endividar para satisfazer a uma ânsia repentina. Em geral, a chamada “compra por impulso” gera duas consequências decepcionantes, a saber: por um lado, o  consumidor não obtém um prazer duradouro como ele imaginava no momento da compra; por outro, tal tipo de compra tende a produzir desequilíbrio no orçamento pessoal ou doméstico.

▲Topo

Consórcio

É uma modalidade de aplicação de recursos constituída pela união de pessoas que se propõem a formar uma poupança comum com o objetivo de adquirir bens móveis, imóveis e serviços, mediante autofinanciamento. O bem ou serviço poderá ser obtido por meio de “sorteio” mensal ou mediante o oferecimento de “lance”. O consorciado contemplado poderá utilizar o crédito para adquirir o bem ou serviço ou para convertê-lo em dinheiro, desde que faça a quitação integral do seu débito com o grupo.

▲Topo

Consumo consciente

É o ato de consumo que se preocupa com os impactos provocados ao meio ambiente e com a sustentabilidade. Todo ato de consumo gera impactos, portanto, ele envolve escolhas como: por que comprar? O que comprar? Como usar? Como descartar? O consumo consciente prevê uma forma diferente, em que o ato de consumir não é um fim em si mesmo, mas apenas uma maneira de garantir bem-estar. Além de se preocupar com aspectos como preço e marca dos produtos, o ato de consumo consciente leva em conta o meio ambiente, a saúde das pessoas, o respeito aos animais e as relações justas de trabalho.

▲Topo

Contemplação

É o ato de receber a carta de crédito do consórcio. O consorciado foi contemplado com a carta de crédito por ter sido sorteado ou porque deu um lance na assembleia para receber a carta de crédito antes do sorteio.

▲Topo

Cooperativas de Crédito

São instituições financeiras formadas por uma associação autônoma de pessoas unidas voluntariamente, com forma e natureza jurídica próprias, de natureza civil, sem fins lucrativos, constituída para prestar serviços a seus associados. O objetivo da constituição de uma cooperativa de crédito é prestar serviços financeiros de modo mais simples e vantajoso aos seus associados, possibilitando o acesso ao crédito e outros produtos financeiros (aplicações, investimentos, empréstimos, financiamentos, recebimento de contas, seguros, etc.). Os investimentos (e não a participação em cotas de capital) nas cooperativas são garantidos pelo FGCOOP – Fundo Garantidor do Cooperativismo de Crédito.

▲Topo

Cota (consórcio)

É o número, a identificação do consorciado dentro de um grupo de consórcio.

▲Topo

Crediário

É um sistema de crédito que permite que o valor de uma compra seja parcelado. Por constituir acesso a um crédito, as parcelas que devem ser pagas contêm o pagamento de juros.

▲Topo

Crédito consignado

É uma modalidade de crédito pessoal que é concedido por uma instituição financeira após o cliente autorizar que seja descontado de sua folha de pagamento o valor correspondente às parcelas de um empréstimo realizado. Esse tipo de empréstimo tem sido muito utilizado no país devido às taxas de juros mais baixas entre os empréstimos pessoais e por permitir que mesmo consumidores com problemas com os diversos órgãos de proteção ao crédito possam dele usufruir.

▲Topo

Crédito pessoal

Modalidade de crédito que não vincula necessariamente o recurso disponibilizado à pessoa para a compra de um bem ou serviço específico. O dinheiro fica disponível ao cliente de uma instituição financeira, que pode usa-lo livremente para cobrir qualquer despesa ou qualquer dívida contraída. O cheque especial, o crédito consignado e o cartão de crédito são três modalidades bastante conhecidas de crédito pessoal.

▲Topo

Crédito Rotativo

É um crédito colocado à sua disposição por administradoras de cartões de crédito. Assim, o crédito rotativo permite que você quite apenas uma parte da fatura e financie o restante, mediante o pagamento de juros.

▲Topo

D

Despesas

Conjunto de todos os gastos que a família tem com o seu consumo de bens, serviços e lazer em cada mês. Quando os gastos não podem ser reduzidos de forma rápida, por exemplo, aluguel da casa ou apartamento, eles são considerados fixos. Caso possam ser reduzidos, por exemplo, uso do celular, são considerados variáveis.

▲Topo

Diagnóstico financeiro

Trata-se do resultado de uma análise detalhada da situação financeira de uma família ou de uma pessoa particular. O diagnóstico permite avaliar o desempenho financeiro. É uma fotografia, ou melhor, um verdadeiro check-up da saúde financeira da família ou do indivíduo para verificar, principalmente, quais despesas podem permanecer as mesmas, quais devem ser alteradas e quais devem ser suprimidas.

▲Topo

Dívida

Obrigação de pagar a alguém, a uma empresa ou a uma instituição financeira pelo recebimento de um bem, um serviço ou um empréstimo qualquer em dinheiro. Ocorre quando se deseja usufruir, no presente, de um recurso que a pessoa ainda não dispõe e tem que recorrer a empréstimo de terceiros; a pessoa contrai, assim, uma dívida.

▲Topo

Dívida Vencida

O consumidor com dívida existente e vencida, ao ter seus dados cadastrados em lista de devedores, será comunicado via correio, com a identificação da empresa/instituição credora. Procure-a e faça o acerto.

▲Topo

DPVAT

Seguro que todo proprietário de veículo automotor que circula por vias terrestres é obrigado a fazer para indenizar vítimas de acidentes causados por esse tipo de veículo

▲Topo

E

F

Ferramenta

No contexto deste site, “ferramenta” refere-se a um instrumento especialmente desenvolvido para que qualquer pessoa possa fazer simulações financeiras e verificar se os empréstimos ou as aplicações financeiras atendem às suas conveniências.

▲Topo

FGCoop

Fundo Garantidor do Cooperativismo de Crédito – é uma associação civil sem fins lucrativos, com personalidade jurídica própria, de direito privado, de abrangência nacional, que permite recuperar os depósitos ou créditos mantidos nas cooperativas singulares de crédito e nos bancos cooperativos (Bancoob e Banco Sicredi), até o valor de R$ 250 mil por CPF em caso de intervenção ou liquidação extrajudicial. http://www.fgcoop.coop.br/

▲Topo

Fundo Comum (Consórcio)

É o total de dinheiro gerado pelos pagamentos de parcelas ao grupo de consorciados. É deste total que sairão as cartas de crédito para uso dos consorciados.

▲Topo

Fundo de Financiamento ao Estudante de Ensino Superior (FIES)

Destina-se a financiar o curso de graduação de estudantes matriculados em instituições de ensino superior pagas e que não conseguem arcar com os custos de sua formação. Trabalha com taxas de juros realmente baixas para a nossa realidade econômica.

▲Topo

Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS)

Criado em 1967, tem por objetivo funcionar como uma reserva financeira para o trabalhador. Os recursos do FGTS ficam depositados na Caixa Econômica Federal (CEF) e são utilizados pelo governo na área de habitação popular, saneamento básico e infraestrutura urbana, como a pavimentação de estradas. Os empregadores são obrigados, por lei, a depositar mensalmente 8% de todo o rendimento do trabalhador em sua conta específica mantida na CEF. O trabalhador somente pode sacar o seu FGTS sob condições especiais, tais como demissão sem justa causa, aposentadoria, aquisição de imóvel próprio ou em casos de doenças graves. Para o trabalhador, o dinheiro rende apenas 3% ao ano.

▲Topo

Fundo de reserva (Consórcio)

Parte dos pagamentos são destinados a formar uma reserva para cobrir uma eventual falta de dinheiro que permita gerar as cartas de crédito para todos os consorciados, além de cobrir outras despesas de responsabilidade do grupo.

▲Topo

Fundo Garantidor de Crédito (FGC)

É uma entidade privada, sem fins lucrativos, que tem por objetivo administrar a proteção a correntistas, poupadores e investidores. Por meio do FGC, recuperam-se os depósitos ou créditos (até o teto de R$ 250.000,00 por pessoa) mantidos em uma instituição financeira em caso de intervenção, liquidação ou falência dela. Os recursos do FGC provêm de contribuições mensais das instituições financeiras associadas ao Fundo. Tais contribuições são estabelecidas mediante um percentual dos saldos das contas que correspondem às obrigações que são objetos de garantia.

▲Topo

Fundos de Investimentos

O fundo reúne recursos de um conjunto de investidores (cotistas) com o objetivo de obter lucro ao investir na aquisição de títulos e valores mobiliários, em cotas de outros fundos ou de bens imobiliários. O Fundo é constituído sob forma de pessoa jurídica como um condomínio de um prédio. A escolha dos tipos de investimentos que serão realizados com os recursos dos quotistas fica a cargo da Administradora do Fundo. São os gestores (especialistas) do Fundo que se encarregarão de fazer as aplicações dos recursos e constituir a chamada “carteira de ativos” do Fundo, de modo a garantir retorno financeiro aos seus quotistas. Há vários tipos de fundos, como os fundos de renda fixa e os fundos de ações.

▲Topo

G

Globalização

Processo crescente de interligação entre países, culturas e pessoas de todo o mundo. Do ponto de vista econômico, trata-se de uma interligação entre todas as economias do mundo que faz com que qualquer alteração em uma delas cause impacto sobre as outras. Assim, é cada vez mais difícil (vai se tornando impossível) um país viver de modo isolado.

▲Topo

H

I

Imediatismo

Uma grande parte dos consumidores apresenta uma ânsia tão grande de satisfazer determinado tipo de consumo que não concebem qualquer postergação. O consumo, acreditam eles, é urgente e não pode ser adiado. O imediatismo leva, muito frequentemente, à tomada de empréstimos, cujas condições são bastante desfavoráveis ao consumidor. A consequência óbvia do imediatismo é fragilizar o consumidor, fazendo-o aceitar, por exemplo, taxas de juros absurdamente altas, que corroem ferozmente o seu poder aquisitivo.

▲Topo

Imposto de Renda (na Renda Fixa)

As operações de investimento em renda fixa sofrem a incidência de Imposto de Renda sobre o rendimento. As alíquotas variam de acordo com o prazo das aplicações da seguinte forma: Até 180 dias = 22,50 por cento / de 181 a 360 dias = 20 por cento / de 361 a 720 dias = 17,50 por cento e acoma de 720 dias = 15 por cento.

▲Topo

Imposto sobre Operações Financeiras (IOF)

Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguros (IOF), que incide sobre operações de crédito, de câmbio e seguro e operações relativas a títulos e valores mobiliários. Trata-se de um imposto federal que ocorre nas  operações relativas a títulos mobiliários, a seguro e a crédito. O governo se utiliza do IOF como instrumento de controle da política de crédito, câmbio, seguro e valores imobiliários.

▲Topo

Impostos (IPVA, IPTU, IR etc.)

Os impostos e seguros são tipos especiais de despesas. Tais despesas, em geral, aparecem em determinados períodos do ano, o que exige um planejamento cuidadoso para que elas não provoquem um rombo no orçamento doméstico. Exemplos típicos são os gastos com o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), o Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), o seguro que todo proprietário de veículo automotor que circula por vias terrestres é obrigado a fazer para indenizar vítimas de acidentes causados por este tipo de veículo (DPVAT) e o Imposto de Renda (IR).

▲Topo

Inadimplência

Constitui o não pagamento, até a data acordada, de um compromisso financeiro assumido com um fornecedor de um bem ou de um serviço.

▲Topo

Inflação

É o aumento generalizado dos preços dos bens e serviços durante um determinado período (mês, ano, etc.). É calculada tendo em vista as despesas com o consumo de determinada classe econômica. No Brasil, a inflação oficial é medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo levantado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Economia – IBGE). Esse índice retrata o padrão (distribuição) de consumo de uma família média que recebe de 1 a 30 salários mínimos por mês. Os preços dos bens e serviços que fazem parte das despesas familiares são levantados em regiões metropolitanas do país. O outro índice apurado pelo IBGE é o IPCR (Índice de Preços ao Consumidor Restrito), que retrata o consumo de uma família média que recebe de 1 a 5 salários mínimos no mês.

▲Topo

Instituições financeiras

São pessoas jurídicas, públicas ou privadas que têm por objetivo levantar, intermediar ou aplicar recursos financeiros próprios ou de terceiros em moeda nacional ou estrangeira. Tais instituições captam poupança das famílias e concedem crédito. São, portanto, intermediários que transferem fundos dos agentes econômicos que possuem poupança para os agentes que necessitam financiar-se para investir ou consumir.

▲Topo

IPTU

Imposto Predial e Territorial Urbano. Deve ser pago por todos aqueles que têm uma propriedade urbana como apartamento, sala comercial ou casa (exceto pelos que são isentos por lei municipal específica). Quando em zona rural, ele passa a ser chamado  de Imposto Territorial Rural (ITR). Sua base de cálculo  é o valor do imóvel. A alíquota utilizada para calcular o IPTU é estabelecida de acordo com cada município e varia de acordo com a metodologia que cada legislador utiliza para avaliar os imóveis existentes. Trata-se de um imposto sem uma vinculação específica e é utilizado para custear diversos tipos de despesas da administração municipal e investimentos em obras de infraestrutura e serviços essenciais à população do município. 

▲Topo

IPVA

Imposto sobre a Propriedade de Veículos (IPVA), tributo cobrado pelo estado pela posse de qualquer veículo automotor, como carro e moto. Sua alíquota varia a cada estado, de acordo com o valor do veículo. O recolhimento do IPVA é anual, e o recurso arrecadado é dividido em duas partes iguais entre o estado e o município onde o veículo foi licenciado.

▲Topo

J

Juros

São os custos de antecipação do consumo e representam o pagamento que é feito pelo dinheiro que tomamos emprestado. A unidade de medida do custo do dinheiro (juros) é expressa por meio de uma taxa percentual acompanhada de uma unidade de tempo. Exemplo, 2% ao mês, 9,5% ao ano, etc.

▲Topo

Juros simples x juros compostos

Na modalidade “juros simples”, a taxa é aplicada sobre o principal, que é o dinheiro que tomamos emprestado. Na modalidade “juros compostos”, a taxa de juros incide sobre o capital inicial (valor do empréstimo) acrescido dos juros acumulados no período. É assim que nasce a expressão “juros sobre juros”.

▲Topo

K

L

Lance (consórcio)

É uma oferta em dinheiro que pode ser feita pelos integrantes de um grupo de consórcio para antecipar o recebimento de uma carta de crédito, sem ter que esperar ser sorteado.

▲Topo

LC – Letras de Câmbio

Letras de Câmbio são títulos de renda fixa emitidos pelas sociedades de crédito, financiamento e investimento (financeiras) tendo como lastro suas operações de financiamento de bens de consumo (eletrodomésticos, automóveis etc) e que remuneram os investidores por uma taxa de juros. Apesar do nome, não tem qualquer relação com câmbio de moedas, Dólar, Euro etc. Estes títulos são garantidos pelo FGC – Fundo Garantidor de Crédito até o valor de R$ 250 mil por CPF.

▲Topo

Leasing

Modalidade de crédito para a aquisição de bens duráveis que se assemelha mais a um aluguel do que a um financiamento. Normatizado por Lei, funciona mediante um contrato denominado “arrendamento mercantil”, “locação financeira” ou “leasing”. Neste caso, aquele que deseja adquirir o bem (o arrendatário) pode optar por ficar definitivamente com ele ao final do contrato, devolvê-lo ao arrendador, aumentar o prazo do contrato ou até mesmo negociar um novo esquema de pagamento. A principal diferença entre um “leasing” e um financiamento comum é que, no “leasing”, o bem se mantém totalmente em nome do arrendador durante toda a vigência do contrato, cabendo ao arrendatário apenas o usufruto dos bens. No caso do financiamento, o bem, mesmo que alienado, fica em nome do arrendatário. O prazo mínimo de arrendamento é de dois anos para bens com vida útil até cinco anos e de três anos para os demais.

▲Topo

Letras de Crédito Imobiliário (LCI)

São títulos nominativos lastreados por financiamentos imobiliários que estão garantidos por hipoteca. Possuem rentabilidade diária e são isentos de imposto de renda. A exigência é a existência de uma conta corrente na instituição financeira e a posse de um montante de recursos igual ou superior ao mínimo exigido.

▲Topo

Linhas de crédito

São as diversas (as mais comuns estão detalhadas neste glossário) modalidades de crediário com as suas respectivas características quantitativas e qualitativas, tais como taxa de juros, prazos, condições exigidas para a sua obtenção, etc.

▲Topo

Liquidez

Refere-se à velocidade e à facilidade com a qual um ativo pode ser convertido em dinheiro. Significa, também, que o dono do ativo terá facilidade em vendê-lo, por um preço correto, em caso de necessidade. Assim, um ativo é considerado de boa liquidez se ele puder, rapidamente, ser convertido em caixa sem que o seu dono sofra uma perda significativa de valor.

▲Topo

M

Marketing

De um modo mais abrangente, trata-se de um processo que envolve planejamento, precificação, promoção e distribuição de bens e serviços, permitindo que as trocas ocorridas no sistema econômico atendam às necessidades tanto das pessoas como das organizações. Nesse sentido, o conceito de marketing vai muito além da ideia corrente de publicidade e venda. O conceito pode, então, ser entendido como um conjunto de técnicas para a promoção das vendas com a atenção voltada simultaneamente para a questão do preço, da distribuição, da comunicação e do produto em si.

▲Topo

Mercado

Local físico ou virtual no qual se encontram os ofertantes (vendedores) e os demandantes (compradores) de bens e serviços, estabelecendo-se, então, o preço e a quantidade transacionada. A chamada “economia de mercado” é aquela que conta com constantes interações entre compradores e vendedores para alocar recursos de forma adequada.

▲Topo

Mercado de Trabalho

É representado pela interação entre a demanda (procura) por mão de obra pelas empresas e a oferta de trabalho pelas pessoas. Desse modo, o Mercado de Trabalho retrata a oferta e a procura de emprego em determinada região (país, estado ou município) e em determinado período de tempo. As características do Mercado de Trabalho é que determinam a quantidade de emprego disponível, o número gerado de empregos e o salário dos trabalhadores.

▲Topo

N

O

Orçamento doméstico

Consiste em organizar as receitas e as despesas financeiras de uma pessoa (ou uma família) durante um determinado período, geralmente no espaço de um mês. As receitas e despesas devem ser lançadas no ato de sua realização. Um orçamento é equilibrado quando as receitas são iguais às despesas realizadas. Deficitário quando as despesas são superiores às receitas e superavitário quando as despesas são inferiores às receitas.

▲Topo

Orçamento familiar

Conjunto de todas as receitas e despesas de uma família. O orçamento familiar é geralmente colocado em forma de uma tabela contendo todas as entradas e saídas de recursos mensais da família e é também conhecido como “fluxo de caixa”. Ele permite mostrar se a família está gastando (ou não) mais do que consegue arrecadar e como é a estrutura de gastos. Manter o orçamento familiar atualizado a cada mês é uma maneira de ajudar no estabelecimento de um processo saudável de consumo.

▲Topo

Orçamento pessoal

Trata-se de um caso particular de orçamento familiar. A única diferença reside no fato de que os valores referentes às entradas e saídas de recursos dizem respeito a uma única pessoa, em vez de referir-se a todos os membros da família.

▲Topo

P

Plano/Planejamento

Trata-se de um processo que possibilita avaliar os caminhos (alternativas) para alcançar uma meta ou os objetivos traçados.  Muitas de nossas ações não são planejadas, mas, para alcançar um grande objetivo, como, por exemplo, a compra da casa própria, é importante que façamos uso do planejamento. Devemos verificar quanto necessitamos poupar mensalmente para dar uma entrada e, assim, reduzir as prestações mensais.

▲Topo

Poupança

É a parcela da renda de pessoas ou de famílias que não é gasta, sendo guardada (poupada) para ser usada num momento futuro. Para que a pessoa poupe, é necessário que ela gaste menos do que recebeu em um dado período (mês, ano, etc.). O que é poupado pode ser aplicado em uma instituição financeira e renderá juros. No país, uma das aplicações mais conhecidas é a da caderneta de poupança. Há outras formas de aplicação financeira, sendo muito utilizados os fundos de investimento, certificados bancários e compra de ações de empresas.

▲Topo

Previdência Complementar

É um sistema que tem o objetivo de acumular recursos para garantir uma renda mensal no futuro aos seus participantes. Além da previdência oficial, há dois tipos de planos de previdência no país: abertos e fechados.  Os fundos fechados são chamados de fundos de pensão, e são constituídos por empresas e destinados aos seus funcionários, sendo a contribuição de responsabilidade das duas partes, conforme previsto em cada estatuto. Os planos de previdência abertos podem se contratados por qualquer pessoa em uma instituição financeira e, geralmente, são oferecidos nas modalidades Planos Gerador de Benefício Livre (PGBL) e Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL).  O Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) permite ao contribuinte abater o investimento do Imposto de Renda (IR) em até 12% da renda tributável. O imposto é pago apenas no resgate e incide sobre todo o montante acumulado ao longo dos anos. Já o plano chamado Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL) é mais indicado para quem apresenta o modelo simples de declaração do IR e não pretende contratar um Plano de Previdência que irá acumular ao longo dos anos um grande volume financeiro.

▲Topo

Programas de transferência de renda

São programas criados por governos (federal, estadual ou municipal) com o objetivo de combater a fome e reduzir as desigualdades sociais.  O Bolsa Família é o principal programa de transferência de renda do Governo Federal, e unificou os programas Bolsa Escola, Cartão Alimentação, Bolsa Alimentação e Auxílio-Gás.

▲Topo

Q

R

RDB

Recibo de Depósito Bancário. Título muito parecido com o CDB, porém não pode ser negociado, transferido ou mesmo resgatado antes do vencimento contratado. As sociedades de crédito e financiamento e as cooperativas de crédito não podem emitir CDBs, somente RDBs.

▲Topo

Receitas

São representadas pelas entradas de recursos financeiros decorrentes de recebimentos de salários, horas-extras, férias, 13º salário ou provenientes de outras fontes.

▲Topo

Recuperação de crédito

Operação que objetiva regularizar a situação dos consumidores cujo acesso ao crédito se encontra prejudicado por terem pendências financeiras no mercado. O principal objetivo da operação é permitir ao consumidor retornar ao mercado de consumo. As próprias câmaras de dirigentes lojistas (CDLs) promovem campanhas para recuperação do crédito, geralmente no período próximo às festas de fim de ano. A ideia é ajudar o consumidor a localizar e negociar as suas dívidas com os credores, de modo a capacitá-lo a reabilitar o seu crédito.

▲Topo

Renda familiar

Soma das rendas de cada membro de uma família que é apurada, normalmente, em base mensal. A renda familiar retrata a capacidade de uma família como consumidora e como investidora. Ela constitui uma das principais variáveis analisadas quando um grupo comercial qualquer examina as possibilidades de se estabelecer em uma dada região.

▲Topo

Renda fixa

Tem, basicamente, dois significados:

a)    Renda mensal invariável que uma pessoa recebe regularmente a cada período fixo de tempo (renda mensal, por exemplo)

b)    Aplicações (empréstimos feitos ao emissor do papel) que possuem remuneração paga com condições pré-definidas. O investimento feito em renda fixa pode apresentar uma rentabilidade variável de acordo com a cotação do título no mercado financeiro e do indexador (um índice qualquer) previamente acordado entre as partes. Exemplos típicos de aplicações em renda fixa são a caderneta de poupança, os certificados de depósito Bancário (CDB), títulos públicos, fundos de renda fixa.

▲Topo

Renegociação

Renegociar uma dívida consiste em desenvolver com o credor um novo acordo a respeito do prazo ou da taxa de juros para o pagamento do restante da dívida. A renegociação de uma dívida deve ser sempre buscada pelo devedor quando ele se sentir prejudicado pelas condições iniciais estabelecidas no momento de contrair o empréstimo.

▲Topo

Risco e retorno de um investimento

São as duas faces da mesma moeda, ou seja, do investimento. O retorno, em finanças, refere-se à relação entre o dinheiro ganho ou perdido e o montante de dinheiro investido. Usam-se também os termos “taxa de retorno” ou “taxa de lucro” para referir-se a essa relação. O risco, por sua vez, é retratado pela volatilidade (oscilação no preço) de um ativo. Uma regra geral e consensual é que risco e retorno guardam uma relação inversa entre si, ou seja, quanto maior o retorno oferecido por um investimento, maior é, provavelmente, o risco envolvido. O grande dilema com o qual se confrontam os investidores é o de saber dosar a relação ente retorno e risco ao procurar por um investimento.

▲Topo

S

Secretaria do Tesouro Nacional

Também conhecida como Tesouro Nacional, foi criada em 10 de março de 1986, e é o resultado da união da extinta Comissão de Programação Financeira com a Secretaria de Controle Interno do Ministério da Fazenda. O Tesouro Nacional é o órgão arrecadador de impostos e contribuições federais, funcionando como o caixa da União. É, também, o gestor da dívida pública e responsável pela captação de recursos do mercado financeiro por meio da emissão de títulos com o objetivo de financiar gastos do governo que não são cobertos pela arrecadação fiscal.

▲Topo

Sistema Brasileiro de Habitação (SBH)

Criado em 1964, o SFH utiliza recurso do FGTS, da poupança, de letras imobiliárias e de outras formas utilizadas pelas instituições financeiras para levantar recursos direcionados ao setor de construção. O financiamento habitacional pode ser solicitado para compra, reforma ou construção de um imóvel. A CEF é o principal agente intermediário do SFH.

▲Topo

Sistema de Liquidação e Custódia de Títulos Públicos (SELIC)

É a taxa básica de juros que o Governo paga para contrair empréstimos, sendo esses usados para custear o setor público, uma vez que o governo arrecada menos do que gasta. Essa taxa constitui, também, a taxa referencial (básica) obtida por aqueles que conseguem poupar e realizam aplicações nas instituições financeiras. A taxa SELIC é fixada pelo Banco Central a cada 45 dias. 

▲Topo

Sociedade anônima

É uma forma jurídica de constituir uma empresa na qual o capital social está dividido em ações que podem ser transacionadas livremente. A responsabilidade dos sócios ou acionistas fica condicionada pelo preço de emissão das ações adquiridas. A sociedade anônima é “aberta” quando capta recursos com o público e é “fechada” quando vem dos próprios acionistas.

▲Topo

Spread Bancário

Representa a diferença entre o que uma instituição financeira cobra nos seus empréstimos e o que ela paga aos depositantes (neste caso, sendo referência a taxa SELIC). O Spread Bancário visa cobrir os custos operacionais, que são necessários para o funcionamento dos bancos (salários dos bancários, luz, água, aluguel das agências, despesas com a aquisição e manutenção de máquinas – computadores, caixas eletrônicos, etc.); os impostos (IOF, PIS, COFINS, etc.) que incidem sobre a atividade bancária; a inadimplência, que decorre dos empréstimos concedidos que não são pagos pelos clientes (calotes são, dessa forma, rateados entre os bons pagadores); o lucro dos bancos, pois toda a atividade envolve riscos e trabalho por parte dos proprietários, e por isso deve ser remunerada.

▲Topo

T

Tarifas bancárias

São os custos que o correntista tem de pagar aos bancos para poder usufruir dos diversos produtos e serviços que a instituição coloca à sua disposição. O contrato assinado ao abrir a sua conta é que contém as informações legais sobre quais tarifas serão cobradas e quais serão gratuitas. A regulamentação mais atual em vigor e que normatiza a cobrança das tarifas bancárias é a Resolução CMN 3.919, de 2010.

▲Topo

Taxa de Abertura de Crédito (TAC)

É uma taxa que as instituições que fornecem o crédito cobram para montar, analisar e aprovar o cadastro do consumidor. Trata-se claramente de um repasse do custo da confecção do cadastro.  A controvérsia em torno da sua legitimidade e legalidade é enorme, e a própria Federação Brasileira de Bancos (Febraban) alerta para o fato de as instituições financeiras estarem desrespeitando uma regulamentação que entrou em vigor em 2008 e não prevê a cobrança da TAC. A Febraban orienta os clientes a reclamar na própria agência. A taxa é considerada abusiva por ser uma despesa de obrigação do fornecedor do serviço.

▲Topo

Taxa Referencial (TR)

Taxa Referencial, criada no Plano Color II, é utilizada para o cálculo de diversos investimentos como títulos públicos, caderneta de poupança empréstimos do SFH (Sistema Financeiro da Habitação), pagamentos a prazo e seguros em geral. É calculada com base na taxa média mensal ponderada ajustada dos CDBs prefixados das 30 instituições financeiras selecionadas, sendo eliminadas as duas de menor e as duas de maior taxa média.

▲Topo

Taxas de administração de fundos de investimento, de consórcios etc

Representam a remuneração paga pelos serviços prestados pelo administrador do fundo (ou do consórcio). Essa taxa é geralmente expressa em um percentual ao ano, por exemplo, 1,5% a.a. Há uma grande diferença entre as taxas de administração dos diversos serviços, o que torna importante a informação da taxa do fundo ou do consórcio ao qual você pretende fazer parte.

▲Topo

Tesouro direto

Tesouro Direto é um programa de venda de títulos do Governo Federal aos investidores interessados. Investir no Tesouro Direto é simples e as transações são feitas pela Internet. Existem várias empresas que trabalham com esse tipo de aplicação, mas a maneira mais segura para você se informar é acessando o site do Ministério da Fazenda: www.tesouro.fazenda.gov.br/tesouro-direto

Você pode aplicar seus recursos na compra de títulos cujo prazo de vencimento varia entre o curto prazo (dois anos), médio prazo (até 10 anos) e longo prazo (que vencem até o ano de 2.050). Eles podem ser pré-fixados (quando a taxa de rentabilidade é determinada no momento da compra) ou pós-fixados (em que a remuneração vai depender da variação da inflação e dos juros do banco Central e só será definida no momento do resgate).

Alguns títulos pagam juros semestralmente, mas há outros em que os juros são pagos apenas no vencimento da aplicação.

Que risco eu corro?

Quem pretende investir em títulos e apenas receber os juros semestralmente ou no final da aplicação basicamente corre apenas um risco, que é de o governo não honrar com seus compromissos. Por ser uma possibilidade extremamente remota, investir em títulos é uma alternativa das mais seguras, considerada de baixo risco.

Entretanto, se você comprou um título e quiser ou precisar revendê-lo antes do vencimento, correrá um risco de mercado. Por exemplo, se você comprou o título por R$ 1.000 para receber semestralmente R$ 50,00 até 2050, e precisar vender no ano seguinte, não terá garantia que alguém o comprará pelo mesmo valor que você o pagou. Você pode ter o azar de ter que vender o seu título a R$ 900, mas também pode ter a sorte de encontrar alguém disposto a pagar R$ 1.100.

Quanto pago de imposto?

Os impostos cobrados sobre as operações realizadas no Tesouro Direto são os mesmos que incidem sobre as operações de renda fixa, como fundos de investimento e CDBs.

Além dos impostos, você terá de pagar duas taxas – uma para sua Instituição Financeira e outra para a BM&FBOVESPA (as bolsas de São Paulo), referente aos serviços prestados. Em geral, essas taxas são significativamente mais baixas que as cobradas em outros produtos de renda fixa oferecidos no mercado:

a) Taxa cobrada pela BM&FBOVESPA

Taxa de custódia de 0,30 por cento ao ano (a.a.) sobre o valor dos títulos, referente aos serviços de guarda dos títulos, informações de mercado e movimentações dos saldos. Se você investir R$ 1.000, por exemplo, terá que pagar à BMF R$ 3,00 por ano.

b) Taxa cobrada pela instituição financeira

A taxa cobrada pela instituição financeira é combinada livremente com o investidor e, na maioria dos casos, fica entre 0,25 por cento e 0,50 por cento a.a. O Tesouro Direto disponibiliza em seu site as taxas cobradas por cada instituição. Pesquise quais são as instituições mais atraentes.

Como faço para aplicar?

Para fazer esse tipo de aplicação, você deve ser cliente de um banco ou de uma Instituição Financeira (também chamada de Agente de Custódia) habilitada a oferecer títulos do Tesouro Direto a seus clientes.

Vale observar que isso não é a mesma coisa que ter conta corrente em banco. As instituições financeiras habilitadas são corretoras de valores, os Agentes de Custódia que guardarão os títulos e farão as transações determinadas por você.  A maioria dos bancos tem sua corretora, mas mesmo já tendo uma conta corrente no banco você precisará abrir uma conta na corretora. Quando da compra de um título o banco transferirá o dinheiro para o pagamento de sua conta no banco para sua conta na corretora através de uma TED.

Depois, basta se cadastrar para as compras de títulos que serão feitas pelo site do Tesouro Direto ou pelo site de seu agente de custódia. Os valores de suas compras serão automaticamente debitados em sua conta junto ao Agente de Custódia.

Após o acesso ao sistema, o investidor escolherá, entre os títulos disponíveis para compra, aquele que melhor se encaixe em sua preferência. Caso necessite do dinheiro de volta e queira revender os títulos antes do vencimento, isto pode ser feito todos os dias a partir das 18:00hs até às 5:00hs do dia seguinte pelo próprio site do Tesouro Direto. Não há uma rentabilidade média, pois os percentuais variam conforme o tipo de título adquirido. Mais detalhes no site do Ministério da Fazenda: www.tesouro.fazenda.gov.br/tesouro-direto

Para saber mais sobre o Tesouro Direto, clique aqui

DICA O Tesouro Direto é uma ótima opção para quem quer investir com rentabilidade e segurança pensando num prazo mais longo. É também adequado aos investidores que desejam diversificar suas aplicações e fugir das altas taxas de administração das instituições financeiras. Também serve para quem quer economizar para ter uma aposentadoria mais tranquila, pois em termos de rentabilidade pode até ser mais interessante que uma previdência privada.

▲Topo

Título protestado

Ocorre quando o consumidor deixa de pagar dívida e o credor protesta o débito em cartório. Dirija-se ao cartório que registrou o protesto e solicite os dados de quem o protestou. Regularize o débito com o credor e peça uma carta atestando que a dívida foi quitada. Reconheça a firma da pessoa/empresa, retorne ao cartório e peça o cancelamento do protesto.

▲Topo

Títulos cambiais

São papéis vendidos pelas instituições financeiras que assumem o compromisso de pagar ao aplicador a variação do dólar (mais uma taxa de juro predefinida) até o seu prazo de vencimento.

▲Topo

Títulos de renda fixa

São aplicações cuja remuneração é paga em intervalos predefinidos e em condições predefinidas. Podem ser do tipo pré-fixado ou pós-fixado. O primeiro permite que o investidor saiba, no momento da aplicação, a rentabilidade que irá receber. Já na aplicação pós-fixada, a rentabilidade somente será conhecida no vencimento, pois ela será corrigida por algum tipo de indexador (por exemplo, os que retratam a taxa de inflação – IPCA, IGP, etc.). São exemplos de aplicações de renda fixa a caderneta de poupança, CDB, LCI e os títulos públicos.

▲Topo

U

V

W

X

Y

Z