dinheiro
O Dinheiro é assunto muito polêmico!

É consenso popular que para evitar brigas deve-se evitar temas como política, religião e futebol. No entanto, se observarmos bem, o dinheiro é um dos principais motivos de brigas, discórdias e guerras, em todas as esferas, classes sociais, diferentes culturas ou épocas. Pesquisas mostram a questão financeira, como uma das principais causas de separação conjugal.  Amizades, famílias, sociedades, empresas, governos, se desfazem por conta de discórdias ou má condução financeira.

Por outro lado, em outra crença e brincadeira popular, ouvimos que o dinheiro traz felicidade ou de forma descontraída, brinca-se que ele, no mínimo, pode compra-la. Acreditando nisto, mesmo que em tom de brincadeira, vemos pessoas vivendo intensamente em busca da riqueza, entrando em discórdias, rompendo relações, limites e leis.

Afinal o Dinheiro é problema ou solução? A resposta a esse dilema é o seguinte:  o dinheiro não é bom, nem ruim, o dinheiro é neutro! Somos nós que atribuímos sentimentos e comportamentos ao lidar com ele. O dinheiro é apenas uma ferramenta de troca!

Já é provado por psicólogos que nosso cérebro intuitivamente procura evitar a dor e buscar o prazer e que ao lidar com o dinheiro, todo ser humano tem uma tendência natural ao egoísmo. Então é daí que começa a confusão! Se intuitivamente um indivíduo com a tendência natural egoísta ao lidar com o dinheiro, enxergar nele, o único caminho para obter o prazer e a felicidade, entrará certamente neste círculo da discórdia, de disputa e ruptura de relações e regras. E o resultado será justamente o oposto da felicidade esperada!

Um outro dito popular conhecido diz: “Quando um não quer, dois não brigam! ”. Vamos imaginar então, dois indivíduos, agindo, pensando e sentindo da forma acima… o potencial de briga, que há!

Se você se enxergou na descrição, ou conhece uma situação semelhante ou alguém próximo agindo como o descrito, deve estar pensando: mas se somos programados assim em nosso cérebro, que esperança há?

Então aqui trago a boa notícia! Enquanto um lado do cérebro, o afetivo, reage intuitivamente assim, temos outro lado do cérebro, o racional, que pode ser treinado a dar respostas no sentido do equilíbrio. Eu disse sim treinado! Precisamos treinar nosso cérebro!

O caminho deste treinamento passa pela reflexão de valores morais pessoais, passa pela identificação de propósito de vida, passa pelo planejamento, por estabelecer prioridades, por desenvolver uma boa comunicação, por estratégias positivas de negociação, e por uma decisão consciente e firme do caminho da paz e de objetivos maiores.

Esse caminho, a princípio, parece um pouco conceitual, teórico e às vezes complicado. Mas, a verdade, é que ele é simples e muito prático. Tenho trabalhado, com diversos casos de sócios, casais, famílias, vizinhos e até aqueles que estão em conflito consigo mesmos, em caminhos de harmonia, paz e ao mesmo tempo sucesso financeiro e conquistas profissionais e pessoais.

Através de técnicas de planejamento, de coaching e de mediação de conflitos, vamos construindo esse caminho, “resignificando” objetivos, clareando sonhos e propósitos, estabelecendo propósitos e metas, negociando de forma positiva, prioridades e limites, áreas de autonomia e de interdependência, em um caminho de comunicação efetiva suportada por valores comuns.

O Dinheiro é importante e não vivemos sem ele. E é possível sim, encontrar um caminho de paz, de felicidade e sucesso, ao mesmo tempo que se fortalecem laços de relacionamentos, quaisquer que sejam eles.

Este caminho é simples! Se você identifica que não está nele, já deu o primeiro passo! Para o próximo, basta buscar ajuda e treinamento, para que no momento das decisões, você possa escolher o melhor caminho!

 

Voltar para colunistas

Veja também

mbf_banners_portal_223x86_22
Cartão de crédito próprio de loja: ter ou não ter?
As vantagens e desvantagens desse modelo de pagamento Você já viveu essa situação: um vendedor sorridente   [...]
conta-corrente-mbf
Fique de olho no tipo de conta corrente ideal para você
Existem várias maneiras de você contratar serviços bancários. Veja dicas para reduzir custos e escolher o   [...]
inadimplente
33% dos brasileiros estão inadimplentes
Estimativa do SPC Brasil revela que já são mais de 52 milhões de pessoas com o nome sujo no país. Entenda   [...]